sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Lobo Xavier considera "utópico e estático" programa do PS

O antigo deputado do CDS, António Lobo Xavier, caracterizou hoje o programa do PS como "utópico e estático" e assumiu esperar que um governo de esquerda não dure os quatro anos da legislatura.

"Já havia algum afastamento da realidade quanto ao programa base do PS, quanto mais agora, parece-me completamente utópico e estático. Não mede o efeito negativo que na economia vai ter só este período, este começo em que estamos", afirmou o advogado à margem da apresentação do livro "Jovens e a Política" do social-democrata José Miguel Bettencourt.

Para o centrista, o programa do PS não contempla "o efeito sobre os juros, o efeito sobre o investimento" do presente quadro político pelo que "parece uma grande utopia".

"Este programa, pelo menos na parte em que o conhecemos, é muito menos parecido com o programa do PS do que o programa da maioria, incluindo as medidas que foram propostas do programa do PS", destacou Lobo Xavier para quem "os programas não valem nada porque as pessoas, por razão de poder, podem desistir completamente".

Disse ainda que "mais do que a questão da legitimidade, estamos a assistir a uma certa degradação do modo como os eleitos enfrentam os eleitores e respeitam as campanhas e o esclarecimento da opinião pública".

Quanto ao acordo feito entre PS, PCP, BE e PEV, Lobo Xavier acredita que "a política subjacente a esta coligação de esquerda é uma política profundamente errada que vai produzir um atraso no desenvolvimento de Portugal, que vai fazer campeada a demagogia desenfreada [e] vai trazer velhos hábitos".

"Não posso falar de esperanças de quatro anos, espero que não dure quatro anos", atirou o também comentador que disse desconhecer o conteúdo do compromisso entre os quatro partidos pelo que optou por apenas "manifestar" a sua vontade de que "não seja" para durar.

Lobo Xavier assinalou que "apesar de haver um acordo no parlamento" não acredita que seja "de estabilidade" e teme que "coloque Portugal nos velhos hábitos e volte atrás com boa parte do esforço que foi feito neste últimos quatro anos".

Lusa

  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15

    País

    Os fogos mais violentos começaram na Lousã, no distrito de Coimbra, e o cenário é desolador. Casas e empresas foram totalmente destruídas. Paulo Carvalho era dono de uma carpintaria, que foi reduzida a um monte de escombros.

  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10

    País

    As autoridades confirmaram a morte de oito pessoas no concelho de Vouzela. Agora é tempo de fazer o luto e tentar reerguer o que foi destruído pelo fogo. Os testemunhos emocionados dos moradores e do autarca relatam a destruição deixada pelas chamas. Custódia perdeu quase tudo. José teve de comprar um gerador para continuar a dar de beber às galinhas.

  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.