sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Associações de Militares pedem diálogo ao novo ministro da Defesa

As associações profissionais de militares pediram hoje ao novo ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, que tenha mais abertura ao diálogo do que o anterior governante, manifestando mais preocupação em relação às políticas do que ao nome do estreante.

LUSA

O nome de Azeredo Lopes foi uma das surpresas do XXI Governo que quinta-feira toma posse, assumindo o ministério da Defesa Nacional, tendo à agência Lusa o secretário-geral da Associação de Oficiais das Forças Armadas, Manuel António Mota, se escusado a comentar pessoas já que a preocupação é com "as políticas que são seguidas".

"Temos esperança sempre renovada, embora com muitas desilusões pelo caminho, que possamos encontrar no Dr. Azeredo Lopes aquilo que não encontrámos claramente no Dr. Aguiar-Branco. Esperamos que seja uma pessoa que se preste ao diálogo", enfatizou.

A Associação de Oficiais das Forças Armadas está completamente disponível "para o diálogo, para trabalhar, até porque há uma série de dossiês que estão pendentes e que são de uma importância muito grande", como é o caso do estatuto dos militares das Forças Armadas, da questão da assistência na saúde aos militares e do Instituto da Ação Social das Forças Armadas.

No mesmo sentido, o presidente da Associação de Praças, Luís Reis, disse à Lusa que "todas as pessoas que iniciam novas funções e até prova em contrário são todas potenciadoras de bom diálogo, de boas intenções" e que "mais importantes do que as próprias pessoas são as políticas que são assumidas pelo Ministério da Defesa".

"Era importante que houvesse por parte do novo ministro uma prática de recebimento das associações para que em conjunto possamos contribuir para melhorar o atual estado de situação em que as Forças Armadas se encontram", disse Luís Reis, considerando que é indiferente o perfil do novo ministro.

Pela Associação Nacional de Sargentos, António Lima Coelho, reiterou esta ideia da importância das políticas a seguir, em detrimento do comentário ao nome do ministro da Defesa Nacional escolhido por António Costa.

"O facto de ser uma pessoa de uma área diferente, poderá trazer aqui alguma abertura e contrariar aquilo que foi a prática do ministro cessante, uma prática de total ausência de diálogo, de iludir os cidadãos com afirmações que não corresponderam à verdade e esperamos de um homem que até esteve na comunicação que haja abertura para o diálogo", observou.

Norberto Bernardo, presidente da Associação dos Militares na Reserva e na Reforma, manifestou boas expectativas em relação ao nome de Azeredo Lopes, destacando o "magnifico currículo" do novo ministro.

"A média etária dos nossos associados são 74 anos e o que nós necessitamos é cada vez mais cuidados de saúde e a associação social complementar", enumerou.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.