sicnot

Perfil

Novo Governo

Novo Governo

Novo Governo

Desfazer "negociata" da concessão de transportes não terá custos, diz António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que será possível desfazer a "negociata" da concessão dos transportes públicos de Lisboa e Porto sem custos porque os contratos não foram visados pelo Tribunal de Contas.

Lusa

Lusa

MIGUEL A. LOPES

"Felizmente, a cegueira e o radicalismo foi tanto, a trapalhada foi tanta, que o Tribunal de Contas não visou os contratos e hoje é possível desfazer essa negociata sem que isso custe dinheiro ao Estado nem implique indeminizações que o Estado teria de pagar", afirmou António Costa no parlamento, durante a apresentação do Programa do XXI Governo Constitucional.

O chefe do executivo falava em resposta ao líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, que tinha confrontado António Costa com a "onde de greves" anunciada pelos sindicatos do setor dos transportes, em Lisboa e no Porto, durante o mês de dezembro.

António Costa achou "absolutamente extraordinário" que o CDS tenha escolhido esses termos para se referir à questão, quando, acusou, de "forma intransigente, teimosa e por puro preconceito ideológico", o anterior governo recusou um entendimento com as autarquias e áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto para a gestão dos transportes públicos daquelas cidades.

"Essa teimosia assenta simplesmente num preconceito, o de que a gestão privada é melhor do que a pública, mesmo quando essa gestão privada é assegurada por um empresa pública espanhola a quem o governo entregou parte dos transportes públicos do Porto porque não confia nas autarquias locais", declarou o primeiro-ministro.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Obama encurta pena de delatora do Wikileaks
    1:45
  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.