sicnot

Perfil

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Imprensa venezuelana diz que "Portugal chora morte de ex-presidente"

"Portugal chora a morte de Mário Soares" é um dos títulos com que a imprensa venezuelana destaca este sábado o desaparecimento do "histórico líder socialista e ex-presidente" português Mário Soares.

"Morreu Mário Soares, ex-primeiro ministro e Presidente de Portugal, que ajudou a guiar o seu país à democracia, após o golpe militar de 1974, e que se converteu num estadista global", escreve o diário venezuelano Panorama, explicando que o político tinha 92 anos de idade, e que a morte foi confirmada pelo Partido Socialista (PS), do qual foi dirigente.

O Panorama destaca ainda que Mário Soares foi vice-presidente da Internacional Socialista e encabeçou missões para resolver conflitos no Médio Oriente e na América Latina, tendo, por outro lado, ajudado "a reabilitar Portugal no cenário internacional, após décadas de isolamento sob a ditadura instaurada por António Salazar".

"A sua insistência em acudir às urnas em vez de às armas, para pôr fim à ditadura, conquistou-lhe respeito mundial", explica o jornal.

O canal privado de notícias Globovisión destaca Mário Soares "como uma das figuras políticas portuguesas mais importantes dos últimos anos", recordando que estava hospitalizado desde 13 de dezembro.

Para o canal estatal Venezuelana de Televisão, o ex-presidente socialista "assentou Portugal na democracia" e, "até ao seu último dia, foi o oráculo de Portugal e do socialismo", uma voz "definitiva do [chamado] soarismo português".

O Correio do Orinoco precisa que a última aparição do fundador do Partido Socialista teve lugar a 28 de setembro do ano passado, numa homenagem a sua mulher, Maria Barroso, falecida em julho de 2015.

O canal multiestatal de Televisão Telesul recorda o percurso de Mário Soares como "fundador do Partido Socialista de Portugal", que "exerceu a presidência do país entre 1986 e 1996", depois de ter sido "primeiro-ministro nos períodos 1976-1978 e 1983-1985".

O portal Aporrea, um portal de informação afeto à revolução bolivariana, destaca as palavras do atual Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, para evocar Mário Soares: "Há pessoas que marcaram" a democracia portuguesa, às quais o povo em geral está grato e que "não é necessário que sejamos da mesma cor política para reconhecer o que essas pessoas fizeram pelo país".

Mário Soares morreu hoje, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.

O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.

Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

Lusa

  • Portugal vai fechar fronteiras durante a visita do Papa

    País

    O Conselho de Ministros aprovou hoje a reposição temporária do controlo de fronteiras durante a visita do papa Francisco em maio a Fátima. A reposição do controlo de fronteiras decorrerá entre 00:00 de 10 de maio e as 00:00 de 14 de maio.

  • "Civis devem ser prioridade absoluta no Iraque", diz Guterres

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, chegou hoje ao Iraque para abordar a situação da ajuda humanitária, e pediu que a proteção dos civis seja a "prioridade absoluta" à medida que as forças iraquianas batalham para retomar Mossul.

  • Fomos conhecer o novo Samsung S8
    1:42
  • E depois do Brexit?
    3:42
  • Britânicos a viver no Algarve falam em desilusão
    2:32

    Brexit

    Para muitos dos britânicos que vivem no Algarve, o Brexit é a confirmação de que o resultado surpreendente do referendo não tem retorno. Certificados de residência e até a dupla nacionalidade são questões que a partir de agora passam a estar em cima da mesa.