sicnot

Perfil

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Mário Soares 1924-2017

Multidão no Largo do Rato aplaudiu o antigo chefe de Estado

NUNO FOX

Uma multidão concentrou-se esta terça-feira no Largo do Rato, em Lisboa, em frente à sede do Partido Socialista, para aplaudir, com gritos "Soares é fixe", a passagem da urna do antigo Presidente da República Mário Soares.

O Largo do Rato foi o ponto do cortejo onde mais pessoas se concentraram para o "último adeus" a Mário Soares.

À passagem na sede nacional do Partido Socialista, muitas pessoas atiraram rosas para cima da urna.

Ao Largo do Rato, chegaram mesmo autocarros de vários pontos do país.

O cortejo foi recebido com palmas dos populares, que se intensificaram com a passagem da urna e dos veículos que transportavam a família de Mário Soares.

Além de "Soares é fixe", as pessoas gritaram também "PS, PS" com o punho cerrado no ar, "Soares, amigo, o povo está contigo".

Foi também ouvida a voz de Mário Soares, tirada de um discurso antigo, quando gritou "Viva o socialismo", ao que os presentes responderam: "Viva, viva".

Quando o cortejo deixou o Largo do Rato e seguiu em direção ao cemitério dos Prazeres, houve um momento de silêncio.

As pessoas começaram a chegar ao Largo do Rato por volta das 13:00, quando começou a cerimónia solene de homenagem ao antigo Presidente da República Mário Soares, nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa.

Quando a cerimónia solene começou eram cerca de meia centena aqueles que assistiam através do ecrã gigante colocado em frente ao edifício da sede do Partido Socialista e quando a cerimónia acabou, uma hora depois, já eram algumas centenas os populares, militantes e simpatizantes socialistas presentes para homenagear Mário Soares.

Os pontos altos da cerimónia solene foram a mensagem de vídeo do primeiro-ministro, António Costa, e a intervenção do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, que foram aplaudidos no Largo do Rato.

Além de rosas amarelas, símbolo de saudade e amizade, muitos populares levaram também cravos vermelhos, rosas vermelhas, rosas brancas, a bandeira nacional e as bandeiras do Partido Socialista.

No local, estavam também vários deputados, autarcas e dirigentes socialistas, bem como o presidente Carlos César, a secretária-geral adjunta Ana Catarina Mendes, um dos fundadores do partido, Edmundo Pedro, os eurodeputados Ana Gomes e Francisco Assis, e a antiga presidente Maria de Belém.

Os populares aguardaram a passagem do cortejo fúnebre do antigo chefe de Estado Mário Soares, que chegou pelas 15:40, ao Largo do Rato.

Apesar de a urna já ter passado pelo Largo do Rato, mais de uma centena de pessoas permanecem ainda no local a assistir ao resto da cerimónia fúnebre, através do ecrã gigante.

Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa.

O Governo português decretou três dias de luto nacional, até quarta-feira.

Lusa

  • Portugal com 3.ª maior dívida pública da UE

    Economia

    A dívida pública recuou, em termos homólogos, na zona euro e na União Europeia (UE), no primeiro trimestre, tendo Portugal registado a terceira maior dos 28 (130,5%), depois da Grécia e de Itália, divulga hoje o Eurostat.

  • Crianças no Daesh - 2ª Parte
    23:43
  • Montenegro e o futuro do PSD: "Não vou pedir licença para avançar"
    1:41

    País

    Luís Montenegro admite que se achar que é a pessoa ideal para a liderança do PSD, não vai pedir licença a ninguém para avançar. Em entrevista à SIC Notícias, o ex-líder parlamentar do PSD diz que está ao lado de Passos Coelho mas sublinha que é importante que haja uma clarificação na liderança do partido.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Estes engenheiros não tiveram formação para exercer arquitetura"
    7:00

    País

    O Parlamento aprovou esta quarta-feira as propostas do PSD e do PAN para devolver aos engenheiros a possibilidade de assinarem projetos de arquitetura. Os aquitetos discordam da medida. José Manuel Pedreirinho, presidente da Ordem dos arquitetos, esteve na Edição da Noite da SIC Notícias para falar sobre o assunto.

    Entrevista SIC Notícias

  • "Foi uma grande honra ser deputado"
    1:23

    País

    Alberto Martins vai deixar a vida política, o socialista renunciou esta quarta-feira ao cargo de deputado, que ocupava há 30 anos, com algumas interrupções. Alberto Martins desempenhou funções de ministro da Reforma do Estado no segundo Governo de António Guterres, e de ministro da Justiça no segundo Executivo liderado por josé Sócrates. O socialista vai ser substituído por Hugo Carvalho.