sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Líder muçulmano nos EUA condena ataque em discoteca de Orlando

O líder do Conselho das Relações Americo-Islâmicas, Nihad Awad, condenou no domingo o massacre numa discoteca de Orlando, Florida, considerando uma "aberração" os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI).

"Este é um crime de ódio. Puro e simples. Nós condenamo-lo veementemente", disse o líder do Conselho das Relações Americo-Islâmicas, Nihad Awad

"Este é um crime de ódio. Puro e simples. Nós condenamo-lo veementemente", disse o líder do Conselho das Relações Americo-Islâmicas, Nihad Awad

Andrew Harnik


"Este é um crime de ódio. Puro e simples. Nós condenamo-lo veementemente", disse Awad, em conferência de imprensa.

"Isto viola os nossos princípios enquanto norte-americanos e muçulmanos. Vou ser claro: nós não toleramos qualquer tipo de extremismo", acrescentou.

O diretor executivo do Conselho das Relações Americo-Islâmicas (CAIR) apelou à unidade e instou os políticos a "não explorarem" o massacre em Orlando, que causou 50 mortos e dezenas de feridos.

Segundo as estações televisivas NBC e CNN, o autor do ataque jurou lealdade ao EI numa chamada telefónica feita para o número de emergências 911 pouco antes de abrir fogo sobre as pessoas que se encontravam na discoteca 'gay'.

Além dos 50 mortos, registaram-se também 53 feridos, de acordo com o mais recente balanço das autoridades.

Lusa

  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.