sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Líder muçulmano nos EUA condena ataque em discoteca de Orlando

O líder do Conselho das Relações Americo-Islâmicas, Nihad Awad, condenou no domingo o massacre numa discoteca de Orlando, Florida, considerando uma "aberração" os extremistas do grupo Estado Islâmico (EI).

"Este é um crime de ódio. Puro e simples. Nós condenamo-lo veementemente", disse o líder do Conselho das Relações Americo-Islâmicas, Nihad Awad

"Este é um crime de ódio. Puro e simples. Nós condenamo-lo veementemente", disse o líder do Conselho das Relações Americo-Islâmicas, Nihad Awad

Andrew Harnik


"Este é um crime de ódio. Puro e simples. Nós condenamo-lo veementemente", disse Awad, em conferência de imprensa.

"Isto viola os nossos princípios enquanto norte-americanos e muçulmanos. Vou ser claro: nós não toleramos qualquer tipo de extremismo", acrescentou.

O diretor executivo do Conselho das Relações Americo-Islâmicas (CAIR) apelou à unidade e instou os políticos a "não explorarem" o massacre em Orlando, que causou 50 mortos e dezenas de feridos.

Segundo as estações televisivas NBC e CNN, o autor do ataque jurou lealdade ao EI numa chamada telefónica feita para o número de emergências 911 pouco antes de abrir fogo sobre as pessoas que se encontravam na discoteca 'gay'.

Além dos 50 mortos, registaram-se também 53 feridos, de acordo com o mais recente balanço das autoridades.

Lusa

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24