sicnot

Perfil

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Massacre em Orlando

Parlamento português condena atentado de Orlando e repudia homofobia

O parlamento português condenou hoje o ataque contra uma discoteca em Orlando, EUA, que classificou como um "ato bárbaro" contra a comunidade LGBT e contra as liberdades, repudiando todas as formas de terrorismo e de ódio.

LUSA/ ARQUIVO

A Assembleia da República "manifesta a mais veemente condenação pelo ataque perpetrado contra cidadãos inocentes, expressando o seu pesar às famílias das vítimas, bem como às autoridades e ao povo norte-americanos", lê-se no voto, apresentado em nome de todas as bancadas e do Presidente do parlamento, Ferro Rodrigues.

No passado domingo, um homem armado atacou uma discoteca em Orlando, EUA, matando 49 pessoas e ferindo 53, num ataque "motivado pelo ódio homofóbico e reivindicado pelo Daesh, embora estejam ainda por explicar as verdadeiras razões", refere o voto.

"Há seguramente uma reflexão que é global e que não pode deixar de condenar sem hesitações todas as formas de terrorismo e todas as formas de ódio", defende o parlamento português, transmitindo a "mais profunda condenação" pelo "ato bárbaro contra uma comunidade em específico, as pessoas Lésbicas, Gay, Bissexuais e Transgénero" [LGBT].

O texto aprovado sustenta ainda que "a brutalidade e a quantidade dos casos" justifica mais empenho numa "resposta global ao terrorismo, não violenta, que promova a segurança através da liberdade e a liberdade através da segurança".


Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.