sicnot

Perfil

Orçamento do Estado 2016

Costa sereno com reunião extraordinária da UE

Costa sereno com reunião extraordinária da UE

António Costa está sereno em relação à decisão do Colégio de Comissários sobre o orçamento português. Em Berlim, o primeiro-ministro assegura que o Orçamento do Estado, para este ano, representa a viragem na página da austeridade. Costa sublinhou ainda que o tema não consta da agenda de trabalhos para o encontro que tem marcado com a chanceler alemã, Angela Merkel. Antes da visita à feira de manhã, António Costa reuniu-se com o ministro alemão dos Negócios Estrangeiros na embaixada portuguesa, um encontro à margem da agenda oficial, como nos conta o enviado da SIC, José Manuel Mestre.

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje estar sereno com a reunião extraordinária do colégio de comissários que irá tomar uma decisão sobre o esboço do Orçamento do Estado português para 2016.

"Estou sereno. Agora é aguardar", disse António Costa, que falava aos jornalistas à margem da feira da agricultura em Berlim, garantindo que o trabalho que o governo fez "está feito, agora é altura da Comissão e parlamento o apreciarem".

António Costa garantiu ainda que o orçamento foi aprovado "por unanimidade e aclamação".

O colégio de comissários reúne-se hoje extraordinariamente às 14:00 locais (13:00 de Lisboa), para tomar uma decisão sobre o esboço de OE2016 português.

No encontro, o colégio da 'Comissão Juncker' irá decidir se o projeto de plano orçamental português para 2016 acarreta "incumprimentos particularmente graves" do Pacto de Estabilidade e Crescimento, determinando assim se o Governo precisa ou não de apresentar um documento revisto.

Rodeado de produtores de fruta, legumes e flores portugueses, António Costa admitiu esperar que a reunião do executivo comunitário "dê frutos".

Na agenda do primeiro-ministro português segue-se um almoço de trabalho com a chanceler da República Federal da Alemanha, Angela Merkel, estando em cima da mesa assuntos europeus.

António Costa frisou aos jornalistas que o encontro se irá centrar na crise dos refugiados e ainda no referendo de permanência ou não do Reino Unido na União Europeia, o denominado "Brexit".

"Portugal tem o direito de ser solidário no esforço da vigilância das fronteias externas. Estamos dispostos a ajudar a Alemanha no esforço que há a enfrentar", adiantou.

Com Lusa

  • Governo acredita que Bruxelas vai aprovar Orçamento do Estado
    2:03

    Orçamento do Estado 2016

    Ainda sem o aval da Comissão Europeia, o Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira a proposta final de Orçamento do Estado para este ano. O documento vai ser entregue esta sexta-feira no Parlamento e apresentado ao país pelo ministro das Finanças. Ao que a SIC apurou, o Governo espera, a qualquer momento, pela avaliação dos comissários europeus e está confiante de que Bruxelas vai deixar passar o primeiro orçamento de António Costa.

  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.