sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Fenprof diz que proposta não permite qualquer investimento na Educação

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) defendeu hoje que a proposta do Orçamento do Estado para 2016 "não permite qualquer tipo de investimento na educação" e exclui qualquer hipótese da melhoria das condições de trabalho dos professores.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

LUSA

"Não nos deixa descansados o facto de o orçamento ter uma redução face aos anos anteriores, nos quais já tinha havido cortes muito fortes. É preocupante", defendeu Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof, a propósito da proposta de Orçamento do Estado para 2016, hoje entregue na Assembleia da República.

A Fenprof criticou ainda o aumento das dotações para o setor privado e cooperativo, considerando que decorrem do novo modelo de financiamento criado pela equipa do ex-ministro Nuno Crato, e que prevê um financiamento plurianual dos colégios.

"Isto mostra bem qual era a opção que havia [na decisão de mudar o modelo de financiamento]", disse Mário Nogueira.

O orçamento para o ensino básico e secundário e administração escolar para 2016 foi reduzido em 1,4%, perdendo 82 milhões de euros face ao ano anterior, de acordo com a proposta do Orçamento do Estado para 2016.

"A despesa total consolidada do programa Ensino Básico e Secundário e Administração Escolar atinge o montante de 5.843,3 milhões de euros. Verifica-se um decréscimo na despesa de 1,4% (cerca de menos 82 milhões de euros), face à execução provisória de despesa de 2015", lê-se no documento, hoje entregue na Assembleia da República.

De acordo com o documento, há um aumento da despesa relativamente a dotações específicas, de 1,2%, feito sobretudo à conta do aumento das transferências do Estado para os estabelecimentos de ensino particular e cooperativo, que crescem 6% face a 2015.

Lusa

  • Recuo na descida da TSU ajudou a convencer Bruxelas
    1:35

    Orçamento do Estado 2016

    O Governo recuou e já não vai descer a Taxa Social Única para os trabalhadores que recebem menos de 600 euros. Terá sido esta última cedência que permitiu convencer Bruxelas a aprovar a proposta de orçamento. No total, o ministro das Finanças prometeu à Comissão Europeia cerca de 1200 milhões de euros em medidas adicionais.

  • Governo considera fim do quociente familiar mais vantajoso para todos
    2:29

    Orçamento do Estado 2016

    Uma das medidas deste orçamento é o fim do quociente familiar, que será substituido por uma dedução fixa por filho. A mudança significa um aumento do esforço fiscal para as famílias de classe média, de acordo com as simulações consultadas pela SIC. O Governo responde que o impacto das duas medidas é igual. Apenas há, segundo diz, uma distribuição mais justa do valor.

  • Bruxelas avisa que mais medidas não estão excluídas
    3:34

    Orçamento do Estado 2016

    O Orçamento do Estado foi esta sexta-feira entregue no Parlamento após a luz verde de Bruxelas. A Comissão Europeia avisa que ainda há riscos de incumprimento do Pacto de Estabilidade e Crescimento. O vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovkis, estima que o défice nominal ronde os 3% do PIB em 2016 e mais medidas não estão, por isso, excluídas.

  • Costa critica os que esperavam o chumbo de Bruxelas
    3:02

    Orçamento do Estado 2016

    António Costa estava em Berlim quando soube da luz verde de Bruxelas ao Orçamento do Estado. O primeiro-ministro, que tinha marcado para hoje um almoço de trabalho com Angela Merkel, disse que este é um grande dia, criticou os que disseram esperar um chumbo de Bruxelas e prometeu uma fiscalização rigorosa à execução do orçamento.

  • As medidas adicionais do Orçamento do Estado
    1:53

    Orçamento do Estado 2016

    No documento final com as contas do Estado, o Governo prevê várias mexidas nos impostos ao consumo. O tabaco e o selo do carro vão ficar mais caros, mas, na restauranção, o IVA cai para 13%. Nos combustíveis, aumenta o imposto sobre a gasolina e o gasóleo, mas o Governo admite rever a medida, caso o preço do petróleo volte a subir.