sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Trabalhadores do setor público continuam a receber 13º mês em duodécimos

Os trabalhadores do setor público vão continuar a receber este ano o subsídio de Natal em duodécimos, tal como tem acontecido nos últimos anos, prevê a proposta de Lei do Orçamento do Estado hoje entregue no parlamento.

(Arquivo)

(Arquivo)

Lusa

"Durante o ano de 2016, o subsídio de Natal ou quaisquer prestações correspondentes ao 13.º mês a que tenham direito, nos termos legais, (...) é pago mensalmente, por duodécimos", diz a proposta de Lei de Orçamento do Estado para 2016 (OE2016), que o Governo entregou hoje na Assembleia da República.

O valor do subsídio de Natal a pagar aos trabalhadores do setor público é calculado mensalmente "com base na remuneração relevante para o efeito, tendo por referência a remuneração auferida no mês de cada um dos duodécimos, nos termos legais, após a redução remuneratória prevista".

"O presente artigo aplica-se a título transitório, durante o ano de 2016, até que seja legalmente prevista a possibilidade de opção pelo trabalhador entre o pagamento por duodécimos ou o pagamento integral, num único mês", refere o documento, acrescentando que se trata de um regime de "natureza imperativa e excecional".

Esta disposição insere-se na sessão I da proposta de lei, dedicada à carreira e ao estatuto remuneratório dos trabalhadores do setor público, que se inicia com um artigo que determina a prorrogação de efeitos de oito artigos da Lei do Orçamento do Estado do ano passado, "durante o ano de 2016, como medida de equilíbrio orçamental.

Os aposentados, reformados e demais pensionistas, assim como o pessoal na reserva ou a aguardar a aposentação, também vão receber mensalmente o subsídio de Natal em duodécimos, ao qual será deduzida a contribuição extraordinária de solidariedade.

Lusa

  • Mosquito transmissor da dengue detetado em Portugal

    País

    Uma espécie de mosquito que é transmissor do vírus da dengue foi identificado pela primeira vez em Portugal, na região Norte do país, anunciou esta quarta-feira a Direção-geral da Saúde (DGS) e o Instituto Doutor Ricardo Jorge.

  • Marcelo não comenta proposta sobre nomeação do governador do BdP
    0:14

    Economia

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar a proposta do grupo de trabalho para a reforma da supervisão financeira, que recomenda que o governador do Banco de Portugal seja nomeado pelo Presidente da República. Marcelo não quis comentar o assunto esta quarta-feira durante a tomada de posse do Reitor da Universidade de Lisboa.

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Habitantes da favela da Rocinha temem novo episódio violento
    2:54

    Mundo

    Localizada no Rio de Janeiro, a Rocinha, maior favela do Brasil, foi palco de um tiroteio entre traficantes, no último fim de semana. Agora, pelo terceiro dia consecutivo, a polícia do Rio de Janeiro está a fazer um cerco em algumas favelas cariocas à procura de traficantes. A comunidade está assustada e receia que episódios violentos como este se repitam.