sicnot

Perfil

OE 2016

OE 2016

Orçamento do Estado 2016

Ministério da Administração Interna vai investir 17 milhões em infraestruturas da PSP e GNR

O Ministério da Administração Interna (MAI) vai investir, este ano, em infraestruturas da PSP e da GNR, cerca de 17 milhões de euros, mais do dobro do que em 2015, indica a proposta do Orçamento do Estado (OE) para 2016.

M\303\201RIO CRUZ

Dos 17.015 milhões de euros orçamentados para infraestruturas, 11.172 milhões de euros destinam-se a postos da GNR e 5.843 milhões, a esquadras da PSP, refere a nota explicativa da proposta do Orçamento do Estado (OE) para 2016, relativa ao MAI, disponível na página da Assembleia da República.

Segundo a proposta do OE, em 2015 foram investidos 7.619 milhões de euros em infraestruturas das forças de segurança e, em 2014, o valor situou-se nos 11.543 milhões.

A nota explicativa refere que, "na legislatura anterior, foram celebrados protocolos para construção de esquadras e quartéis das forças de segurança, muitos sem previsão orçamental".

No âmbito da discussão da apreciação na especialidade do OE, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, vai estar hoje, ao fim da tarde, na Assembleia da República, numa audição conjunta das comissões parlamentares de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa e de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

O orçamento previsto do MAI para 2016 é de 2.023 milhões de euros, mais 25 milhões face ao executado em 2015. Em termos consolidados, e sem cativos, o orçamento estima-se em 1.964 milhões de euros.

Segundo a proposta, o orçamento do MAI é financiado com 1.613 milhões euros de receitas gerais, 361 milhões de euros de receitas próprias e 49 milhões euros com fundos comunitários.

O documento realça que 79 por cento do orçamento do MAI está afeto à GNR e à PSP.

A Guarda Nacional Republicana tem previsto um orçamento para 2016 de cerca de 863 milhões de euros, mais 32,4 milhões de euros do que em 2015.

Por sua vez, a proposta de orçamento para 2016 da Polícia de Segurança Pública é de 734,8 milhões de euros, e representa um aumento de 21,5 milhões de euros, em relação à dotação orçamental de 2015.

Com um orçamento previsto de 86 milhões de euros, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deverá ter este ano um reforço de 5,9 milhões de euros, em relação a 2015.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), por seu lado, terá um orçamento, em 2016, estimado em cerca de 129 milhões de euros, o que poderá significar uma redução de 4,6 milhões de euros face a 2015.

O orçamento da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) para 2016 deverá situar-se nos 31,3 milhões de euros, mais 2,2 milhões euros do que em 2015.

Também a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) poderá ver o orçamento aumentado em 400 mil euros, enquanto a secretaria-geral do MAI terá um orçamento semelhante a 2015, de 40,6 milhões de euros, e os gabinetes do MAI deverão sofrer uma redução de cinco por cento.

Lusa

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31