sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Comissão Europeia reitera empenho na luta contra a fraude fiscal

A Comissão Europeia reiterou hoje, em Bruxelas, o seu compromisso com a luta contra a fraude e evasão fiscais, sublinhando que atuará se necessário, no caso dos chamados "Panama Papers".

"Desempenhamos um papel muito ativo em todas as frentes", disse a porta-voz do executivo comunitário para a Fiscalidade, Vanessa Mock, sublinhando que a Comissão atuará se a legislação não for cumprida ou se houver mais trabalho a fazer.

Falando na habitual conferência de imprensa diária, a porta-voz adiantou que Bruxelas está satisfeita com as medidas já propostas para a luta contra a fraude e evasão fiscais, nomeadamente após o caso "LuxLeaks", sobre práticas fiscais agressivas no Luxemburgo.

Em março, lembrou Vanessa Mock, os ministros das Finanças da União Europeia chegaram a acordo sobre o reforço das trocas de informação fiscal sobre multinacionais entre os 28 Estados-membros e, na próxima semana, a Comissão Juncker irá propor que estes sejam tornados públicos.

Em relação ao papel da banca, lembrou que a legislação comunitária obriga à troca de informações sobre operações fiscais em todo o mundo.

A maior investigação jornalística da história, divulgada na noite de domingo, envolve o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, com sede em Washington, e destaca os nomes de 140 políticos de todo o mundo, entre eles 12 antigos e atuais líderes mundiais.

A investigação resulta de uma fuga de informação e juntou cerca de 11,5 milhões de documentos ligados a quase quatro décadas de atividade da empresa panamiana Mossack Fonseca, especializada na gestão de capitais e de património, com informações sobre mais de 214 mil empresas offshore em mais de 200 países e territórios.

A partir dos "Panama Papers" como já são conhecidos, a investigação refere que milhares de empresas foram criadas em offshores e paraísos fiscais para centenas de pessoas administrarem o seu património, entre eles rei da Arábia Saudita, elementos próximos do Presidente russo Vladimir Putin, o presidente da UEFA, Michel Platini, e a irmã do rei Juan Carlos e tia do rei Felipe VI de Espanha, Pilar de Borbón.

O semanário Expresso e o canal de televisão TVI estão a participar nesta investigação em Portugal.

Com Lusa

  • Novo dia de protestos contra expropriações na ilha do Farol
    2:30

    País

    A sociedade Polis Ria Formosa concluiu a tomada de posse das construções identificadas como ilegais na ilha do Farol, na Ria Formosa, em Faro. No segundo dia da operação, sob fortes protestos da população, os técnicos da Polis, escoltados pela Polícia Marítima, expropriaram hoje mais 18 construções.

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira