sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Justiça do Panamá abre investigação

A justiça do Panamá vai abrir uma investigação sobre o escândalo mundial de evasão fiscal conhecido como "Panama Papers", que implica altos quadros políticos, desportivos e do mundo dos negócios, anunciou na segunda-feira o Ministério Público panamiano.

© Carlos Jasso / Reuters

"Os factos descritos nos 'media' nacionais e internacionais sob o nome 'Panama Papers' vão ser objeto de uma investigação", disse o Ministério Público, num comunicado.

A investigação terá por objetivo apurar se foram cometidas infrações e por quem e, ainda, identificar eventuais prejuízos financeiros, precisou o Ministério Público.

Vários países abriram investigações sobre branqueamento de capitais na sequência das revelações sobre um vasto esquema de evasão fiscal, a partir de cerca de 11,5 milhões de documentos provenientes do escritório de advogados panamiano Mossack Fonseca.

Mossack Fonseca declarou que essas revelações eram um "crime" e um "ataque" contra o Panamá, regularmente acusado de ser um paraíso fiscal, algo que é contestado pelas autoridades.

O Governo do Panamá assegurou no domingo que "iria cooperar vigorosamente" com a justiça em caso de abertura de um processo judicial.

O Ministério Público panamiano reconheceu a "complexidade e o efeito sem precedentes das informações" divulgadas, mas declarou que iria "disponibilizar todos os instrumentos" à sua disposição para a realização da investigação.

A maior investigação jornalística da história, divulgada na noite de domingo, envolve o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ, na sigla inglesa), com sede em Washington, e destaca os nomes de 140 políticos de todo o mundo, entre eles 12 antigos e atuais líderes mundiais.

A investigação resulta de uma fuga de informação e juntou cerca de 11,5 milhões de documentos ligados a quase quatro décadas de atividade da empresa panamiana Mossack Fonseca, especializada na gestão de capitais e de património, com informações sobre mais de 214 mil empresas 'offshore' em mais de 200 países e territórios.

Com Lusa

  • Rúben Lima nega crimes de corrupção no processo Cashball
    6:04

    Desporto

    Rúben Lima, um dos 8 jogadores suspeitos de terem sido aliciados por intermediários ao serviço do Sporting para beneficiar o clube de Alvalade, nega todos os crimes investigados pela Polícia Judiciária. Numa entrevista exclusiva à SIC, o jogador do Moreirense garante que não conhece nenhum dos quatro arguidos detidos no âmbito do processo Cashball.

    Exclusivo SIC

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • Rui Rio alerta que violações do segredo de justiça ameaçam democracia
    2:16

    País

    Rui Rio diz que não pede demissões "a cada esquina" e prefere aguardar pelas respostas do ministro Adjunto Siza Vieira, sobre o alegado conflito de interesses com os acionistas chineses da EDP. O líder do PSD esteve esta terça-feira reunido com a direção nacional da Polícia Judiciária, onde defendeu que a violação do segredo de justiça é insustentável e ameaça o regime democrático.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • A maior obra de reconversão urbana em Portugal 20 anos depois
    3:47