sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Primeiro-ministro da Islândia pede eleições antecipadas

Primeiro-ministro da Islândia, implicado no escândalo de corrupção, Panama Papers, pediu eleições antecipadas. Presidente vai chamar partidos antes de decidir dissolução do Parlamento.

Primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur David Gunnlaugsson.

Primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur David Gunnlaugsson.

© Sigtryggur Johannsson / Reute

Na sequência dos dados revelados pela investigação Panama Papers, o Presidente da Islândia quer ouvir os partidos com assento parlamentar antes de tomar uma decisão sobre a dissolução do Parlamento.

O primeiro-ministro do país é suspeito de estar também envolvido no escândalo e já veio pedir eleições antecipadas.

Depois de se reunir com primeiro-ministro, Sigmundur David Gunnlaugsson. o Presidente diz que quer ouvir os principais partidos antes de tomar uma decisão sobre a dissolução do Parlamento.

  • "Luxemburgo é um gigantesco offshore onde entram todo os dias malas com dinheiro"
    6:04

    José Gomes Ferreira

    Dados do Banco de Portugal indicam que todos os dias saem 2 milhões de euros de Portugal para contas offshore. José Gomes Ferreira comenta a saída de dinheiro para paraísos fiscais, bem como os últimos desenvolvimento do escândalo "Panama Papers". O Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação divulgou este domingo a identidade de vários personalidades que estão de alguma forma envolvidos neste caso de corrupção e fuga fiscal à escala mundial. José Gomes Ferreira critica a falta de vontade política para pôr fim a estes paraísos fiscais, nomeadamente por parte do FMI, e cita o exemplo do Luxemburgo, bem no centro da Europa.

  • PM da Islândia abandona entrevista ao ser questionado sobre empresa offshore
    1:24

    Panama Papers

    Um dos nomes envolvidos no escândalo "Panama Papers" é o do primeiro-ministro da Islândia. Sigmundur David Gunnlaugsson abandonou uma entrevista a uma televisão sueca quando estava a ser questionado sobre a empresa onde, juntamente com a mulher, teve títulos que chegaram a valer milhões de euros, em três grandes bancos da Islândia que faliram durante a crise financeira de 2008.

  • Europol deteve grupo que vendia euros falsos na Darkweb

    Mundo

    A Europol anunciou hoje a detenção de oito pessoas suspeitas de pertencerem a um grupo criminoso considerado como um dos maiores fornecedores de euros falsos vendidos online, no âmbito de uma operação realizada pelas autoridades italianas.