sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Como explicar o Panama Papers a uma criança torna-se viral

O escândalo Panama Papers é o assunto do dia, interessa a miúdos e graúdos. Dan Gliesack, um utilizador do site Reddit, elaborou um texto, a pensar nos mais novos, e explicou de uma forma muito simples, o esquema das offshores. O texto, entretanto ilustrado com cartoons tornaram-se virais.

Dan Gliesack, um utilizador da rede "Reddit", elaborou um texto, a pensar nos mais novos, e explicou de uma forma muito simples, o esquema das offshores.

Dan Gliesack, um utilizador da rede "Reddit", elaborou um texto, a pensar nos mais novos, e explicou de uma forma muito simples, o esquema das offshores.

© Olivia Harris / Reuters

A explicação do Panama Papers com porquinhos mealheiros já se fartou de dar a volta ao mundo. Nos últimos dias, o texto e as imagens produzidas pela publicação Vox tornaram-se virais.

Tudo isto se deve a Dan Gliesack que explicou o esquema de corrupção de uma forma simples, como se tivéssemos 5 anos:

Quando recebem uma moeda, põem-na no mealheiro. O mealheiro está numa prateleira, no vosso quarto.
A vossa mãe sabe e, de vez em quando, vai lá contar o dinheiro, para saber se pouparam mais ou se o gastaram.

Um dia, podem pensar: "Não quero que a minha mãe conte o meu dinheiro". E levam outro mealheiro para casa do João, para guardá-lo no quarto dele. Escrevem nele o vosso nome e põem-no na prateleira.
A mãe do João é muito ocupada e nunca tem tempo de ir ver o mealheiro dele. Por isso, podem guardar lá o vosso e será um segredo.

Todos os miúdos do bairro acham a vossa ideia fantástica e todos levam um mealheiro extra para casa do João. Agora, a prateleira do João está cheia com os mealheiros de todas as crianças do bairro.

Um dia, a mãe do João chega a casa e vê os mealheiros todos. Fica muito zangada e telefona aos pais de todas as crianças a contar.

Nem todos fizeram isto por mal. O irmão mais velho do José rouba-lhe dinheiro do mealheiro, e ele só quis escondê-lo melhor.
O Joaquim quis poupar para comprar uma prenda de anos à mãe, sem ela saber. O Manuel só o fez porque achou divertido.

Mas muitas crianças fizeram-no por más razões.
O Vasco andava a roubar o dinheiro do almoço aos colegas e não queria que os pais soubessem. O Miguel andava a roubar dinheiro da carteira da mãe. O Bruno estava a fazer dieta e não queria que os pais soubessem que ele andava a comprar doces.

Na vida real, muitas pessoas importantes foram apanhadas a esconder os seus mealheiros em casa do João, no Panamá. Hoje, as mães descobriram. Em breve, saberemos mais sobre quais destas pessoas importantes estavam a fazê-lo por más razões e quais o faziam por boas razões.
Mas quase todos estão metidos em problemas, porque é contra as regras guardar segredos.

.

O resultado foi este:

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.