sicnot

Perfil

Panama Papers

Grupo Espírito Santo esconde saco azul no Panamá durante 21 anos

Grupo Espírito Santo esconde saco azul no Panamá durante 21 anos

O jornal Expresso, que investiga o escândalo da Mossack Fonseca, revela que o Grupo Espírito Santo escondeu um saco azul no Panamá durante mais 20 anos. Pelas contas do GES no paraíso fiscal podem ter passado mais de 300 milhões de euros. A investigação do Consórcio de Jornalistas revela que Ricardo Salgado e José Manuel Espírito Santo tinham acesso direto às contas offshore mas todo o conselho superior do Grupo podia aceder ao dinheiro.

  • Luís Portela, Manuel Vilarinho, Ilídio Pinho e grupo Espírito Santo no Panama Papers

    Panama Papers

    Luís Portela, Manuel Vilarinho e Ilídio Pinho estão entre os envolvidos no Panama Papers, que ajudou ainda a esconder um saco azul do Espírito Santo durante 21 anos. Pelas enterprises terão passado mais de 300 milhões de euros. Um gestor de fortunas admite também contactos com um representante de Isabel dos Santos. Ex-ministros portugueses também fazem parte da sua lista de clientes. Ao todo há mais de 240 portugueses envolvidos no escândalo das offshores da Mossack Fonseca.

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.