sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Presidente da Argentina declara-se inocente no caso Panama Papers

O Presidente argentino, Mauricio Macri, afirmou hoje que não fez nenhuma "omissão maliciosa" das suas declarações de patrimónios obrigatórios como funcionário público, depois de a denúncia internacional 'Panama Papers' revelar os seus interesses financeiros offshore. "Eu não recebi nenhum pagamento por ser director [de empresas offshore]. Amanhã vou-me apresentar ao tribunal com toda a informação necessária para o juiz verificar que tudo o que eu fiz foi correto", disse o Presidente, em declarações à televisão.

Natacha Pisarenko

A negação de qualquer transgressão por parte do Presidente surgiu depois de um procurador federal abrir uma investigação das suas finanças.

A denúncia foi feita no seguimento do escândalo desencadeado pelo escândalo que ficou conhecido por 'Panama Papers', onde Macri é mencionado como diretor da empresa Fleg Trading Ltd, com sede nas Bahamas, uma empresa que não consta nos seus depoimentos.

O Governo do Panamá informou hoje que executará "com a maior rapidez possível" o processo de avaliação dos seus sistemas financeiro e fiscal, o pilar da estratégia para fazer frente aos Papéis do Panamá.

A vice-Presidente e Ministra das Relações Exteriores do Panamá, Isabel De Saint Malo, é responsável pela criação de um comité de especialistas locais e internacionais que irão trabalhar para "avaliar as práticas" financeira e fiscal, o que vai ser a sua "prioridade nas próximas semanas, meses", disse hoje a vice-Presidente.

"Esta comissão irá avaliar as nossas práticas e garantir que cumprimos as normas" que o país aprovou para tornar mais "transparente" o seu centro financeiro internacional, um setor que, juntamente com a logística e o turismo, fundamentam a economia em expansão do Panamá, acrescentou.

A partir dos 'Panama Papers' , a investigação refere que milhares de empresas foram criadas em 'offshores' e paraísos fiscais para centenas de pessoas administrarem o seu património, entre eles o rei da Arábia Saudita, elementos próximos do Presidente russo Vladimir Putin, o presidente da UEFA, Michel Platini, e a irmã do rei Juan Carlos e tia do rei Felipe VI de Espanha, Pilar de Borbón.

O semanário Expresso e o canal de televisão TVI estão a participar nesta investigação em Portugal.

Com Lusa

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.

  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.