sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

"Qual Panamá?", Putin ridicularizado em cartaz afixado em Moscovo

O Kremlin tem recusado qualquer ligação aos "Panama Papers". Vladimir Putin e os seus assessores políticos negam que pessoas da confiança do Presidente russo tivessem contactos com a empresa panamiana Mossack Fonseca, especializada na gestão de capitais e de património. Nas ruas de Moscovo a reação surgiu com humor, esta quarta-feira, foi afixado um cartaz polémico numa paragem de autocarro. Na imagem um desenho do Presidente com um chapéu panamá, por baixo uma pergunta: "Qual Panamá?". O outdoor foi retirado umas horas depois.

A personagem criada por Hunter S. Thompson em "Delírio em Las Vegas", o anti-herói Raoul Duke, serviu de inspiração para o cartaz que não agradou às autoridades russas. Os autores do outdoor são ainda desconhecidos, mas não foram os primeiros a basearem-se em Duke, jornalista amante de drogas e álcool, para ridicularizar Putin e alertar para a sua provável ligação aos "Panama Papers".

A Aviasales, companhia russa de venda de bilhetes de avião, foi a primeira a usar a imagem de Putin caracterizado como Raoul Duke. Uma estratégia para vender voos para o Panamá.

"O destino de férias que está mais na moda, onde os mais famosos de todo o Mundo deixam o seu dinheiro. Veja quanto custam os bilhetes mais baratos para o Panamá", pode ler-se no anúncio publicado na página de Facebook da Aviasales.

Putin rejeitou ontem as acusações contra o seu círculo mais próximo após as revelações dos "Papéis do Panamá" e acusou os Estados Unidos de envolvimento na divulgação das listas com o objetivo de desestabilizar a Rússia.

"Que elemento de corrupção? Não existe nenhum", declarou o Presidente russo em São Petersburgo, acusando Washington de estar por detrás deste vasto inquérito que revelou importantes práticas financeiras e fiscais suspeitas de personalidades, chefes de Estado, empresários ou desportistas.

Os jornalistas de investigação membros do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação, com sede em Washington, "passaram a pente fino esses paraísos fiscais mas o vosso humilde servidor não figura", ironizou.

O polémico cartaz de Putin afixado nas ruas de Moscovo também fez furor nas redes socias. O jornalista José Milhazes, profundo conhecedor da realidade russa, não ficou indiferente à notícia, avançada também no site do Radio Free Europe/ Radio Liberty.

Hoje, durante o dia, numa das avenidas de Moscovo foi colocado um cartaz com a pergunta: "Qual Panamá?". Algumas horas...

Publicado por José Milhazes em Quarta-feira, 6 de Abril de 2016
  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".