sicnot

Perfil

Panama Papers

Panama Papers

Panama Papers

Membro de órgão consultivo da China escondeu nacionalidade de Singapura

Ngan In Leng, empresário de Macau e membro do Comité Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPC), escondeu ter nacionalidade de Singapura, revela hoje o jornal South China Morning Post com base no Panama Papers.

De acordo com a imprensa de Hong Kong, Ngan In Leng, fundador da falida companhia aérea Viva Macau, usou o cartão de identidade de Singapura, que obteve no final do ano 2000, para proceder ao registo de duas 'offshore', que criou com membros da sua família.

A China não reconhece a dupla nacionalidade.

Ngan In leng é o segundo membro do comité permanente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês que se descobre que detém nacionalidade estrangeira.

Antes, soube-se, também por via do Panama Papers, que o magnata do imobiliário Lee Ka-kit, vice-presidente da Henderson Land Development, havia declarado nacionalidade britânica na hora de constituir firmas 'offshore'.

Ngan In Leng não revelou a sua identidade de Singapura ao Registo de Empresas de Hong Kong que, ao contrário das plataformas 'offshore' secretas, torna detalhes públicos online.

Em vez de utilizar o seu bilhete de identidade de Macau, facultou aos funcionários da Mossack Fonseca fotocópias do seu documento de Singapura, cuja data de emissão é de dezembro de 2000, apenas um ano depois da transferência do exercício de soberania de Macau de Portugal para a China.

Ngan, que foi promovido de membro da CCPPC para o seu 'núcleo duro' em 2013, é visto como um unificador da comunidade de Fujian em Macau, tendo-se tornado mais discreto depois da falência, em 2010, da Viva Macau, que fundou e presidiu.

A Viva Macau, uma companhia de baixo custo, começou a operar em 2006 ao abrigo de um acordo de subconcessão com a Air Macau.

Em 2010, contudo, o Governo revogou a sua licença na sequência de cancelamentos de voos devido a problemas financeiros.

Com Lusa

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.