sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Sampaio da Nóvoa diz que instituições públicas "estão perto do limite"

O candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa assinalou esta segunda-feira, após uma visita ao Instituto Português de Oncologia (IPO), que as instituições públicas "resistiram bem" à crise dos últimos anos mas agora estão perto do limite.

Sampaio da Nóvoa assinalou ainda que "é em torno da constituição de equipas motivadas, com possibilidade de terem carreiras dedicadas ao serviço público, que se estruturam estes serviços", com prejuízo de os "profissionais emigrarem para o estrangeiro".

Sampaio da Nóvoa assinalou ainda que "é em torno da constituição de equipas motivadas, com possibilidade de terem carreiras dedicadas ao serviço público, que se estruturam estes serviços", com prejuízo de os "profissionais emigrarem para o estrangeiro".

Paulo Cunha / Lusa

"Percebemos que as instituições públicas resistiram bem a uma situação de grande crise mas temos todos a noção que estamos no limite dos limites", assinalou o candidato à agência Lusa no final de uma visita ao IPO, em Lisboa, acrescentando que esta resistência se deveu em grande parte à "dedicação dos profissionais" e a uma "gestão mais cuidadosa e mais rigorosa".

Para Nóvoa, "se não houver políticas públicas adequadas" as instituições podem "estar à beira do colapso", sendo necessário "inverter as políticas públicas" de financiamento, sustentabilidade, autonomia e valorização dos profissionais.

Os principais problemas que o candidato a Belém identificou ao longo das reuniões que tem tido com diversas instituições foram os cortes no financiamento ou dificuldades das organizações em adquirir autonomia de gestão, que considerou "transversais ao conjunto dos serviços públicos".

"Um elemento central como cultura de serviço público" é, na sua opinião, "a valorização dos profissionais", acrescentando que "muitas vezes as pessoas confundem isso com um certo corporativismo".

Sampaio da Nóvoa assinalou ainda que "é em torno da constituição de equipas motivadas, com possibilidade de terem carreiras dedicadas ao serviço público, que se estruturam estes serviços", com prejuízo de os "profissionais emigrarem para o estrangeiro".

Em relação à visita ao IPO e à reunião que manteve com o Conselho de Administração deste hospital, Nóvoa afirmou que é "uma instituição onde há uma cultura muito forte de serviço público", tendo considerado que "as questões da saúde são centrais".

Durante a reunião com o Conselho de Administração do IPO, o candidato ouviu as principais dificuldades que o hospital atravessou, tendo o presidente deste órgão, Francisco Ramos, salientado o défice de profissionais derivado dos cortes orçamentais dos últimos quatro anos.

O objetivo daqui para a frente, afirmou Francisco Ramos, será "reverter a tendência de diminuição dos recursos humanos", embora este ano "não seja possível continuar a redução de custos, maioritariamente devido a despesas com medicamentos".

A visita da comitiva do candidato ao IPO foi acompanhada pela antiga ministra da Saúde Ana Jorge, tendo manifestado o seu apoio a Sampaio da Nóvoa na corrida a Belém.

"Penso que é uma pessoa de reconhecido perfil de independência, de humanista, de uma pessoa que deu provas enquanto reitor", assinalou a socialista Ana Jorge.

A antiga ministra considerou também que o facto de Sampaio da Nóvoa não estar "ligado a nenhum setor partidário será neste momento, no momento que vive o país, excelente para poder reunir à volta dele diferentes convergências e no fundo tentar defender Portugal, tornando-o mais cidadão, mais próximo das pessoas".

Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.