sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Presidenciais 2016

Sampaio da Nóvoa diz que instituições públicas "estão perto do limite"

O candidato presidencial António Sampaio da Nóvoa assinalou esta segunda-feira, após uma visita ao Instituto Português de Oncologia (IPO), que as instituições públicas "resistiram bem" à crise dos últimos anos mas agora estão perto do limite.

Sampaio da Nóvoa assinalou ainda que "é em torno da constituição de equipas motivadas, com possibilidade de terem carreiras dedicadas ao serviço público, que se estruturam estes serviços", com prejuízo de os "profissionais emigrarem para o estrangeiro".

Sampaio da Nóvoa assinalou ainda que "é em torno da constituição de equipas motivadas, com possibilidade de terem carreiras dedicadas ao serviço público, que se estruturam estes serviços", com prejuízo de os "profissionais emigrarem para o estrangeiro".

Paulo Cunha / Lusa

"Percebemos que as instituições públicas resistiram bem a uma situação de grande crise mas temos todos a noção que estamos no limite dos limites", assinalou o candidato à agência Lusa no final de uma visita ao IPO, em Lisboa, acrescentando que esta resistência se deveu em grande parte à "dedicação dos profissionais" e a uma "gestão mais cuidadosa e mais rigorosa".

Para Nóvoa, "se não houver políticas públicas adequadas" as instituições podem "estar à beira do colapso", sendo necessário "inverter as políticas públicas" de financiamento, sustentabilidade, autonomia e valorização dos profissionais.

Os principais problemas que o candidato a Belém identificou ao longo das reuniões que tem tido com diversas instituições foram os cortes no financiamento ou dificuldades das organizações em adquirir autonomia de gestão, que considerou "transversais ao conjunto dos serviços públicos".

"Um elemento central como cultura de serviço público" é, na sua opinião, "a valorização dos profissionais", acrescentando que "muitas vezes as pessoas confundem isso com um certo corporativismo".

Sampaio da Nóvoa assinalou ainda que "é em torno da constituição de equipas motivadas, com possibilidade de terem carreiras dedicadas ao serviço público, que se estruturam estes serviços", com prejuízo de os "profissionais emigrarem para o estrangeiro".

Em relação à visita ao IPO e à reunião que manteve com o Conselho de Administração deste hospital, Nóvoa afirmou que é "uma instituição onde há uma cultura muito forte de serviço público", tendo considerado que "as questões da saúde são centrais".

Durante a reunião com o Conselho de Administração do IPO, o candidato ouviu as principais dificuldades que o hospital atravessou, tendo o presidente deste órgão, Francisco Ramos, salientado o défice de profissionais derivado dos cortes orçamentais dos últimos quatro anos.

O objetivo daqui para a frente, afirmou Francisco Ramos, será "reverter a tendência de diminuição dos recursos humanos", embora este ano "não seja possível continuar a redução de custos, maioritariamente devido a despesas com medicamentos".

A visita da comitiva do candidato ao IPO foi acompanhada pela antiga ministra da Saúde Ana Jorge, tendo manifestado o seu apoio a Sampaio da Nóvoa na corrida a Belém.

"Penso que é uma pessoa de reconhecido perfil de independência, de humanista, de uma pessoa que deu provas enquanto reitor", assinalou a socialista Ana Jorge.

A antiga ministra considerou também que o facto de Sampaio da Nóvoa não estar "ligado a nenhum setor partidário será neste momento, no momento que vive o país, excelente para poder reunir à volta dele diferentes convergências e no fundo tentar defender Portugal, tornando-o mais cidadão, mais próximo das pessoas".

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.