sicnot

Perfil

Presidenciais 2016

Maria de Belém diz que é tempo de uma mulher ser Presidente da República

Maria de Belém diz que é tempo de uma mulher ser Presidente da República

Maria de Belém esteve esta manhã em Ílhavo, num dia que é dedicado às mulheres. A candidata garante que chegou o tempo de ter uma mulher como Presidente da República.

Durante uma manhã dedicada às mulheres, a antiga ministra e presidente do PS destacou também o papel das mulheres na sociedade e questionada se a afirmação da sua candidatura é mais difícil pelo facto de ser mulheres frisou que não.

"Acho que em Portugal nós temos uma maturidade democrática que percebe bem a importância das mulheres no exercício da vida política", sustentou durante uma visita a uma fábrica de malas e carteiras do distrito de Aveiro.

"Muitas vezes o que acontece é que quando se introduzem na tal agenda política determinadas matérias elas são consideradas subalternas e é preciso fazer um esforço de investimento na demonstração que não há matérias subalternas", frisou.

Os jornalistas perguntaram ainda se Maria de Belém conta com o voto das mulheres, ao que a candidata respondeu que "muitas acham que é importante que as mulheres possam finalmente exercer o poder ao mais alto nível".

"Muitas mulheres sentem que é chegado o momento de ter um exercício da Presidência diferente", sublinhou.

Maria de Belém disse ainda que hoje em dia as mulheres podem fazer todos os trabalhos que os homens fazem e lembrou a capacidade, que está estudada do ponto de vista biológico, para elas fazerem "várias tarefas ao mesmo tempo".

"A desigualdade é cultural e a desigualdade demora muito tempo a desaparecer, por isso é que é tão importante continuarmos a investir na igualdade de oportunidades na medida em que a desigualdade tem muitas manifestações e uma delas é a da violência doméstica, que radica muito no desvalor que se dá às mulheres, nas mulheres consideradas como propriedade de alguém", salientou.

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41