sicnot

Perfil

Rio 2016

Ministro da Educação elogia postura do selecionador Rui Jorge

(Arquivo)

ANDR\303\211 KOSTERS

O Ministro da Educação admitiu hoje que fez contactos não institucionais com a Federação Portuguesa de Futebol e elogiou a postura do selecionador da equipa olímpica pela forma como conduziu a escolha dos jogadores

O selecionador da equipa olímpica de futebol, Rui Jorge, teve algumas dificuldades na formação do grupo que levou para o Brasil, dado que muitos clubes se recusaram a ceder jogadores.

Numa entrevista ao Diário de Notícia e TSF, hoje divulgada, o ministro assegurou ter mantido contactos "não institucionais, vendo com cuidado todo o processo" e lembrou que não podia ter uma "intervenção ativa", mas que as declarações feitas foram no sentido de que a equipa olímpica de futebol pudesse estar "representada ao mais alto nível".

Tiago Brandão Guedes avança a existência de contactos com a Federação Portuguesa de Futebol passando uma mensagem de que "os clubes se pudessem comprometer", considerando que o cerne da questão passa pelo facto de falta de compromisso da FIFA.

"Toda esta questão está condicionada à partida, a questão da data da FIFA é primordial. Até porque muitos dos atletas não estão em Portugal. E nem na Liga Portuguesa podemos ter uma intervenção direta porque muitos clubes são instituições privadas. Com todas as competições que existem, isso faz que os clubes se queixem. Em média já dão os atletas 30 a 40 dias às seleções e os campeonatos estão a começar", sublinhou.

O ministro disse admirar "muito a posição de Rui Jorge, a sobriedade e a estoicidade com que encarou este processo", adiantando: "o não compromisso da FIFA em relação aos Jogos Olímpicos deve preocupar-nos e a FIFA tem de entender o que quer do futebol olímpico (...). Entendo que os clubes, têm as suas prioridades e já têm de libertar os jogadores para as datas obrigatórias".

Para o responsável, os Jogos Olímpicos são também "um sonho para muitos futebolistas, por muito que sejam vedetas nos seus campeonatos", e como tal, devem-se tirar "ilações da situação e do relacionamento da FIFA com o movimento olímpico e saber o caminho a percorrer".

Portugal venceu quinta-feira a Argentina por 2-0, na estreia no Grupo D do torneio olímpico de futebol Rio 2016, no Estádio Olímpico João Havelange, com golos de Gonçalo Paciência e do suplente Pité.

A formação das quinas, que inaugurou a participação lusa nos Jogos Olímpicos Rio2016, volta a jogar no domingo, frente às Honduras, às 15:00 locais (19:00 em Lisboa).

A 14 de julho, aquando do anúncio dos jogadores convocados para o torneio olímpico, Rui Jorge disse que a lista era a "possível" e construída de forma "surreal".

"É a possível, quando escolhemos 35 jogadores [para a pré-convocatória], fizemo-lo com o grupo que seria ideal para os Jogos Olímpicos. Atendendo às negas que levamos de alguns clubes, desses 35 apenas conseguimos 11 jogadores, logo aí ficámos limitados", explicou Rui Jorge na altura.

Lusa

  • Passos começou a fazer oposição

    Bernardo Ferrão

    É inegável a habilidade política de António Costa mas no caso da TSU e do acordo de Concertação Social só cai quem quer. A verdade dos factos é que o primeiro-ministro fechou um acordo sabendo que não o podia cumprir. E agora tenta desviar-nos o olhar para o PSD, como se fosse ele o culpado, quando o problema está na geringonça. Antes de atacar Passos, Costa devia resolver os problemas em casa com o PCP e BE.

    Bernardo Ferrão

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.