sicnot

Perfil

Rio 2016

Velejador Gustavo Lima em 14.º posição após duas regatas de Laser

O velejador português Gustavo Lima terminou esta segunda-feira na 14.ª posição as duas primeiras regatas da classe Laser nos Jogos Olímpicos Rio2016, após dois 15.os lugares.

Na sua quinta participação em Jogos Olímpicos, Gustavo abriu a prova com 30 pontos, numa prova que é liderada pelo croata Tonci Stipanovic, com seis pontos, os mesmos do argentino Julio Alsogaray.

Na terceira posição está o russo Sergei Komissarov, com 11 pontos.

Na terça-feira, estão previstas mais duas regatas da classe Laser.

Lusa

  • Gustavo Lima pela 5ª vez nos Jogos Olímpicos
    4:59

    Desporto

    Gustavo Lima qualificou-se na semana passada para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. É a quinta presença consecutiva do velejador português em Jogos Olímpicos, depois da estreia em Sidnei no ano de 2000. Gustavo Lima vai defender, na cidade onde nasceu, as cores portuguesas na classe Laser. Em entrevista à SIC Notícias, o velejador elogiou todos os atletas que já conseguiram o apuramento, nomeadamente João Rodrigues que vai competir nas Olímpiadas pela 7ª vez.

  • "Levo Portugal comigo e talvez seja essa a minha motivação"
    0:58

    Rio 2016

    Gustavo Lima partiu para o Rio de Janeiro, onde vai representar Portugal nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O velejador não promete trazer uma medalha para Portugal, mas acredita que a experiência e a confiança vão ser as suas melhores armas para o sucesso. Esta será a quinta participação de Gustavo Lima nos Jogos Olímpicos.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15