sicnot

Perfil

Rio 2016

Os portugueses que estão hoje em prova nos Jogos Olímpicos

ANTÓNIO COTRIM7LUSA

Veja aqui o programa dos atletas portugueses para esta quarta-feira, 10 de agosto, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

9:00 (13:00 em Lisboa) João Costa - Tiro - Pistola 50m (qualificação)

10:00 (14:00) Célio Dias - Judo -90kg (eliminatórias)

11:28 (15:28) Nelson Oliveira - Ciclismo (estrada) - Contrarrelógio

12:00 (16:00) João Costa - Tiro - Pistola 50m (final) a)

13:00 (17:00) Equipa - Futebol - Fase de grupos (vs. Argélia, em Belo Horizonte)

13:00 (17:00) Gustavo Lima - Vela - Laser (3.º Dia)

13:00 (17:00) Sara Carmo - Vela - Laser Radial (3.º Dia)

14:14 (18:14) Alexis Santos - Natação - 200m estilos (eliminatórias)

14:24 (18:24) Diogo Carvalho - Natação - 200m estilos (eliminatórias)

15:30 (19:30) Célio Dias - Judo -90kg (finais) a)

23:29 (03:29) Alexis Santos - Natação - 200m estilos (meias-finais) a)

23:29 (03:29) Diogo Carvalho - Natação - 200m estilos (meias-finais) a)

a) Caso se qualifique

O atirador João Costa, em pistola livre a 50 metros, e o ciclista Nelson Oliveira, na prova de contrarrelógio, despedem-se hoje dos Jogos Olímpicos Rio 2016, enquanto Célio Dias vai pisar o tatami que consagrou a amiga Telma Monteiro.

Depois de ter falhado a final na sua prova de eleição, a pistola de ar comprimido a 10 metros, o mais velho dos 92 participantes lusos vai tentar consegui-lo na prova em que foi nono classificado em Londres 2012.

Pelo contrário, Nelson Oliveira enfrenta a sua grande especialidade, o contrarrelógio, depois da queda sofrida na prova de estrada de fundo, que não o impede de competir, mas pode vir a causar-lhe problemas.

O traçado bastante duro, de 54,5 quilómetros, é outro problema, bem como a concorrência, o britânico Chris Froome, o holandês Tom Dumoulin, o bielorrusso Vasil Kiryienka, o alemão Tony Martin, o suíço Fabian Cancellara ou o australiano Rohan Dennis.

O português inicia o seu exercício às 11:28 locais (15:28 em Lisboa). Depois do ciclista da Movistar, saem apenas mais oito, com o vencedor do Tour a ser o último a sair.

No tatami onde terça-feira Telma Monteiro deu o bronze a Portugal na categoria de -57kg, Célio Dias, 21.º do Mundo, compete em -90kg, estreando-se frente a Celtus Dossou Yovo, do Benim, 220.º mundial, que deve ultrapassar sem dificuldades.

Por seu lado, Alexis Santos e Diogo Carvalho competem nas eliminatórias dos 200 metros estilos, com o objetivo de chegarem às meias-finais, que também se disputam na sessão noturna, a partir das 23:29 locais (03:29 em Lisboa).

Na vela, Gustavo Lima (Laser) e Sara Carmo (Laser Radial) cumprem o terceiro dia de regatas, para o qual partem no 21.º lugar e no 29.º, respetivamente.

O futebol, já com diploma garantido, face à presença confirmada nos quartos de final, defronta a Argélia, em Belo Horizonte, num embate em que apenas está em jogo o primeiro lugar do Grupo D, que a equipa de Rui Jorge garante com um empate.

Com Lusa

  • 10 Minutos com Eurico Reis
    11:20

    10 Minutos

    Há quatro meses que Portugal é um dos poucos países europeus onde é possível recorrer à gestação de substituição. E há já um casal que teve luz verde para começar os tratamentos. Para um balanço, foi nosso convidado Eurico Reis, juiz desembargador e presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, a entidade que autoriza os processos de gestação de substituição.

    Entrevista completa

  • A inédita entrevista do príncipe Harry a Barack Obama
    0:47

    Mundo

    Foi divulgado um vídeo pouco habitual, onde aparece o príncipe Harry a entrevistar Barack Obama para um programa de rádio. A conversa foi gravada em setembro, durante um evento desportivo para militares com deficiência, e será transmitida na íntegra no dia 27 de dezembro.

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01
  • Seis meses depois da tragédia de Pedrógão Grande
    5:55

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assinalou-se este domingo meio ano desde que o país ficou em choque com o rasto de morte e destruição causado pelos incêndios florestais na região centro. A tragédia de Pedrogão Grande foi há precisamente seis meses. Enquanto segue a reconstrução no tempo possível e com o Natal à porta, a vida prossegue, mas não voltará a ser mesma.