sicnot

Perfil

Rio 2016

Tribunal confirma expulsão de ginasta holandês por saída noturna

© Grigory Dukor / Reuters

O tribunal de Arnhem, Holanda, confirmou esta sexta-feira a decisão do Comité Olímpico da Holanda (COH) de enviar para casa o ginasta holandês Yuri Van Gelder, por ter saído de noite da Aldeia Olímpica sem autorização.

Segundo o tribunal holandês, a decisão tomada pelo COH foi a mais correta, pelo que Van Gelder não poderá regressar ao Brasil para participar na final de ginástica artística dos Jogos Olímpicos, informou a agência ANP.

Yuri Van Gelder admitiu que, depois de tomar umas cervejas num bar, apanhou um táxi para deixar em casa um dos amigos que celebrava consigo o seu apuramento para a final.

Depois, regressou ao clube onde se encontrava com a namorada e outro amigo, para ir buscá-los, negando estar ausente a noite toda numa discoteca.

O COH considerou que o atleta, de 35 anos, tinha "infringido as normas e os valores" da equipa e da associação de ginástica.

Os responsáveis do comité olímpico consideraram que não tinham outra opção se não a de mandar o ginasta regressar a casa.

"Os nossos atletas têm que dar o exemplo e, com o seu comportamento, isso não se verificou", referiu o COH, em comunicado.

Lusa

  • Ginasta expulso do Rio devido a consumo de álcool ridicularizado nas redes sociais

    Rio 2016

    O ginasta holandês Yuri van Gelder teve um bom começo na competição em argolas nos Jogos Olímpicos. Mas van Gelder, um dos maiores atletas de ginástica na Holanda e detentor de um título mundial em argolas, foi eliminado dos Jogos Olímpicos por ter ingerido bebidas alcoólicas, comportamento totalmente proibido pela Federação Holandesa. A decisão já gerou uma onda de críticas e piadas nas redes sociais.

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.