sicnot

Perfil

Rio 2016

Nelson Évora diz que não voltaria a apostar na temporada de pista coberta

O português Nelson Évora, sexto na final do triplo salto dos Jogos Olímpicos Rio2016, assegurou esta terça-feira que voltaria atrás na sua preparação da temporada e que teria abdicado da aposta na pista coberta.

"A única coisa que, se calhar, teria feito de diferente era não ter feito pista coberta. Fiz uma preparação muito a fundo e, se calhar, deveria ter-me resguardado um pouco mais, mas o meu treinador optou por eu ter mais ritmo competitivo. Não me trouxe nada", assumiu.

Com um salto de 17,03 metros, o campeão olímpico de Pequim2008 acabou na sexta posição, numa prova ganha pelo norte-americano Christian Taylor (17,86), seguido do compatriota Will Claye (17,76) e do chinês Dong Bin (17,58).

"Todos os medalhados, à exceção do chinês, optaram por não o fazer. Quem opta por fazer uma pista coberta opta por fazer mais provas, ganhar mais dinheiro, quem não, opta por treinar forte e entrar cedo na época, já com um bom momento de forma e fazer várias provas boas até uma grande competição. Esta era a única coisa que mudaria", disse.

O atleta do Benfica recordou que, em 2008, quando foi campeão olímpico, não apostou na pista coberta, enquanto este ano fez "um trabalho completamente diferente e foi muito difícil saltar em pista coberta".

"O que está feito está feito, não podemos olhar para trás, temos de aprender com estas coisas e eu e o meu treinador vamos encontrar forma de voltarmos ao pódio nas próximas grandes competições", referiu.

Nas eliminatórias e na final Évora fez quase sempre saltos a rondar os 17 metros, assumindo que "era assim que devia ter entrado em maio e passados três meses estaria com muitos saltos acima dos 17 metros, estaria muito mais consistente".

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.