sicnot

Perfil

Rio 2016

Canoista Hélder Silva lamenta primeira final falhada em quatro anos

ANT\303\223NIO COTRIM

O canoísta português Hélder Silva assumiu esta quarta-feira a tristeza por ter falhado pela primeira vez a final A de uma grande competição, depois de ter sido eliminado nas meias-finais de C1 200 dos Jogos Olímpicos Rio2016.

"Nunca fiz uma final B, a primeira final B em 200 metros vai ser amanhã, foram quatro anos sempre a ir às finais A, amanhã vai ser a minha primeira final B, claro que estou muito triste. Contava chegar pelo menos à final A. Claro que é um sentimento de tristeza", referiu.

Hélder Silva foi o quinto classificado na terceira meia-final, com um tempo de 41,162 segundos, sendo relegado para a final B, para definir as posições entre o nono e 16.º lugar.

"Na parte do fim, já vinha a esticar muito para vir perto deles, para tentar entrar na frente porque só os dois primeiros lugares é que davam acesso à final. 'Estiquei' ao máximo e na parte final quebrei um bocado, porque também já vinha a dar o máximo. Não queria perder a frente, tentei esticar ao máximo e na parte final desequilibrei-me um bocado, mas já não dava mais", assumiu.

Não procurando desculpas, Hélder Silva disse que hoje os "adversários foram mais fortes, houve dias em que foram mais fracos", lamentando novamente "os quatro anos sem falhar finais A".

"Estava um pouco vento de frente, por isso é que a prova começou lenta e terminou ainda mais lenta. Estava para toda a gente, os adversários são um pouco maiores do que eu, mas não é desculpa, porque eles foram melhores do que eu", referiu.

Na final B, de quinta-feira, Hélder Silva diz que vai entrar para ganhar, como faz sempre, "sejam quem forem os adversários, sejam campeões olímpicos ou campeões do mundo".

"Eu entro sempre para ganhar e já provei muitas vezes isso, já tinha ganhado a todos os meus adversários, mas hoje foi assim e amanhã é para tentar ganhar", garantiu.

Lusa

  • Um homem de 83 anos é a 42.ª vítima dos incêndios
    1:27

    País

    Subiu para 42 o número de vítimas mortais nos incêndios deste domingo. Um homem de 83 anos foi encontrado sem vida em Lugar de Covelo, em Vouzela. O número de feridos mantém-se, 14 estão em estado grave. A maior parte das mortes aconteceu no distrito de Coimbra (20) e Viseu (19). Segundo a Proteção Civil, já não há desaparecidos. Sete pessoas estavam dadas como desaparecidas e apenas uma foi encontrada sem vida. Um bebé de poucos meses tinha sido dado como morto, mas foi encontrado com vida.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08