sicnot

Perfil

Shimon Peres 1923-2016

Perfil do último dos "arquitetos" de uma paz que não prosperou

Perfil do último dos "arquitetos" de uma paz que não prosperou

Shimon Peres era o último sobrevivente da geração dos "pais fundadores" de Israel, e um dos responsáveis pelos acordos de Oslo, com a Palestina, que lhe valeram a distinção com o Prémio Nobel da Paz. O ex-Presidente israelita morreu hoje, aos 93 anos. O estadista sofreu um acidente vascular cerebral a 13 de setembro e encontrava-se hospitalizado desde então. A reportagem sobre o perfil de Shimon Peres é do correspondente da SIC em Israel, Henrique Cymerman.

O seu contributo mais reconhecido internacionalmente foi o de impulsionar da aproximação entre palestinianos e israelitas que culminou, em 1993, com o reconhecimento israelita da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e o início de um processo de negociações que aproximou como nunca ambas as partes no sonho da paz e que deveria ter conduzido à criação de um Estado palestiniano.

Apesar de a paz ter sido "truncada" em 2000 pela Segunda Intifada e de as partes não terem conseguido voltar a encarrilar um diálogo frutífero, Shimon Peres continuou a erguer a bandeira da solução de dois estados e tornou-se numa voz conciliadora em prol da paz numa região submersa num conflito que dura há mais de um século.

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão