sicnot

Perfil

Sismo em Itália

Costa expressa disponibilidade para ajudar após sismo em Itália

ETIENNE LAURENT/POOL

O primeiro-ministro português, António Costa, expressou esta quarta-feira solidariedade e disponibilidade para ajudar Itália em virtude do terramoto de 6,2 na escala de Richter registado no centro do território transalpino e que provocou pelo menos 37 mortos.

Através da sua página oficial na rede social Twitter, o chefe do Governo, "perante esta catástrofe", deixou "uma mensagem de alento e solidariedade para o povo de Itália, que pode contar com o apoio de Portugal".

Segundo fonte do gabinete do primeiro-ministro, Costa também enviou hoje um telegrama ao seu homólogo italiano, Matteo Renzi, a transmitir solidariedade e pesar por parte do Governo e do povo português e disponibilidade para ajudar no que for necessário.

O terramoto, ocorrido às 03:36 (02:36 em Lisboa), teve uma magnitude de 6,2, segundo o centro norte-americano de monitorização da atividade sísmica mundial USGS, e de 6,0, segundo o Instituto de Geofísica italiano.

O epicentro do tremor de terra foi na província de Rieti e o sismo afetou também as de Perugia, Ascoli, Piceno, L'Aquila e Teramo, a cerca de 130 quilómetros a nordeste de Roma.

Segundo um primeiro balanço da Proteção Civil italiana pelo menos 37 pessoas morreram.

Nas localidades Accumoli, Amatrice e Arquata del Tronto, próximas do epicentro, dezenas de edifícios ruíram e numerosas pessoas estão presas nos escombros.

Lusa

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.