sicnot

Perfil

Sismo em Itália

Pelo menos 39 sismos de mais de três graus após o de 6,2 no centro de Itália

Alessandra Tarantino

Pelo menos 39 sismos de mais de três graus na escala de Richter e numerosas réplicas registaram-se no centro de Itália desde o terramoto de 6,2 ocorrido hoje de madrugada e que causou pelo menos 37 mortos.

Num comunicado, o Instituto de Geofísica italiano informou que até às 07:00 locais (06:00 em Lisboa) tinham sido sentidos 39 movimentos sísmicos de magnitude igual ou maior que três graus na parte central dos montes Apeninos.

O terramoto de 6,2 ocorreu às 03:36 (02:36 em Lisboa), com epicentro na província de Rieti e afetou também as de Perugia, Ascoli, Piceno, L'Aquila e Teramo, a cerca de 130 quilómetros a nordeste de Roma.

As localidades mais próximas do epicentro foram Accumoli, Amatrice e Arquata del Tronto, segundo o instituto, adiantando que o sismo mais forte após o de 6,2 ocorreu às 04:33 locais na zona de Norcia, em Perugia, e teve uma magnitude de 5,4 graus.

A área, que sofreu no passado outros terramotos de forte intensidade, localiza-se num ponto de alta perigosidade sísmica que corre ao longo do eixo da cordilheira.

Além dos quase 40 mortos, segundo a proteção civil italiana, ficaram destruídos dezenas de edifícios e numerosas pessoas estarão ainda presas nos escombros.

A agência italiana Agi falou de uma centena de desaparecidos.

Lusa

  • SIsmo de 6,2 na escala de Richter foi seguido de várias réplicas
    1:39

    New Articles

    O abalo registou-se a sudeste de Norcia, cidade da província de Perugia, teve o epicentro a dez quilómetros de profundidade, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitoriza a atividade sísmica mundial. Foi também sentido em Roma, a aproximadamente 150 quilómetros de distância, e seguido de diversas réplicas.

  • Proteção Civil italiana não avança com número de vítimas
    0:37

    New Articles

    O chefe da Proteção Civil italiana, Fabrizio Curcio, não quer avançar para já com um balanço oficial, considerando precoce, dado que estão em curso as operações de salvamento. O chefe da Proteção Civil compara este terramoto, que foi registado à superfície com o sismo de magnitude 6,3 que causou, em 2009, mais de 300 mortos e devastou a região de Abruzos, perto de Aquila. Segundo o autarca de Amarice, uma das localidades mais afetada pelo tremor de terra, Sergio Pirozzi, "metade da cidade desapareceu". Accumoli, outra localidade afetada pelo sismo tem aproximadamente 700 habitantes, enquanto Amatrice cerca de 2.000.

  • Posto de escuta com Teresa Canto Noronha
    5:57

    Sismo em Itália

    A jornalista da SIC Teresa Canto Noronha fez, há momentos, um balanço das últimas horas sobre situação vivida em Itália após o sismo de 6,2 que se fez sentir esta madrugada. De acordo com os vários sites analisados pela jornalista, a Proteção Civil italiana alerta, agora, para a instabilidade dos edifícios e as autoridades continuam os trabalhos de remoção dos escombros.

  • Incêndio em Lisboa faz um ferido
    4:13

    País

    Um incêndio de grandes dimensões deflagrou esta segunda-feira numa loja, na Avenida de Berlim, em Lisboa. O repórter André Palma esteve no local, onde ouviu o comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa. Pedro Patricio confirmou que foi assistida uma pessoa por inalação de fumos e, por questões de segurança, os veículos estacionados perto do local foram retirados, assim como foi pedido às pessoas dos prédios à volta que saíssem por causa do fumo. O incêndio foi dominado.

  • "Rui Rio avisou que vinha para partir loiça dentro do PSD"
    3:00
  • Hugo Soares não deverá continuar como líder parlamentar do PSD
    3:17

    País

    Rui Rio não deverá manter Hugo Soares na liderança parlamentar do PSD. Fonte próxima do novo presidente social-democrata diz à SIC que dificilmente o líder da bancada poderá continuar no cargo. Aumenta a pressão para que Hugo Soares ponha o lugar à disposição e já começam a surgir nomes para o substituir.

  • Suspeita de militantes fantasma no PSD
    4:22

    País

    Perante a suspeita de militantes fantasma e de caciquismo, Salvador Malheiro, diretor de campanha de Rui Rio, diz que o ato eleitoral foi devidamente fiscalizado. Uma investigação do jornal Expresso encontrou oito filiados numa morada que não existe e 17 militantes com morada numa casa onde vivem nove pessoas e nenhuma é do PSD. A associação cívica Transparência e Integridade fala num vazio legal e em falta de regulamentação.

  • Cristiano Ronaldo está insatisfeito com o salário e pode sair do Real Madrid
    2:38