sicnot

Perfil

Sismo em Itália

Número de mortos no sismo em Itália sobe para 267

A Proteção Civil de Itália elevou hoje para 267 o número de vítimas mortais na sequência do forte terramoto de magnitude 6,2 na escala de Richter que devastou, na madrugada de quarta-feira, localidades no centro do país.

O anterior balanço oficial, facultado na noite de quinta-feira, apontava para 250 mortos, incluindo pelo menos oito estrangeiros.

Os novos dados foram divulgados hoje pela presidente da Proteção Civil italiana, Immacolata Postiglione, que atualizou também o número de feridos hospitalizados, que ascende atualmente a 387.

O terramoto, que teve epicentro a dez quilómetros de profundidade, a sudeste de Norcia, cidade da província de Perugia (Umbria), figura como um dos mais mortíferos dos últimos anos em Itália.

Ocorrido às 03:36 (02:36 em Lisboa) de quarta-feira, o sismo, que teve epicentro a dez quilómetros de profundidade, a sudeste de Norcia, cidade da província de Perugia (Umbria), figura como um dos mais mortíferos dos últimos anos em Itália e já foi seguido por centenas de réplicas, incluindo mais de 50 só na noite anterior.

A mais forte -- de magnitude 4,9 -- foi registada às 06:28 (05:28 em Lisboa) e durou mais de um minuto.

A chefe da Proteção Civil indicou ainda que 2.100 pessoas dormiram nos acampamentos instalados em vários pontos da zona afetada, contra as 1.200 da noite anterior, já que muitos decidiram pernoitar em tendas e nos ginásios em vez de no interior de automóveis ou ao relento.

A Proteção Civil instalou diversos acampamentos e colocou à disposição ginásios e outros centros com um total de 3.500 camas para as pessoas que ficaram sem casa na sequência do forte tremor de terra.

As equipas de resgate continuaram toda noite em busca de sobreviventes, debaixo dos escombros, tanto em Amatrice como em Pescara del Tronto, as localidades onde se estima haver ainda desaparecidos.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.