sicnot

Perfil

Sismo em Itália

Número de mortos no sismo em Itália sobe para 278

O último balanço provisório da Proteção Civil italiana dá conta de 278 mortos na sequência do terramoto de 6,2 graus na escala de Richter que atingiu na madrugada de quarta-feira o centro de Itália.

O anterior balanço provisório oficial dava conta de 267 vítimas mortais.

De acordo com os mesmos dados provisórios divulgados hoje, o forte abalo fez igualmente 388 feridos.

Ocorrido às 03:36 (02:36 em Lisboa) de quarta-feira, o sismo de magnitude 6,2 é um dos mais mortíferos dos últimos anos em Itália.

Na localidade de Amatrice, onde foi registado o maior número de vítimas mortais (218), as equipas de resgate continuavam as buscas de possíveis sobreviventes entre os escombros.

Em Arquata foram contabilizados 49 mortos, enquanto na zona de Accumoli morreram 11 pessoas, confirmou também a Proteção Civil italiana.

Desde que ocorreu o forte abalo foram resgatadas com vida 238 pessoas, precisou um porta-voz daquela entidade italiana.

A Proteção Civil italiana informou igualmente que instalou áreas de acolhimento para 3.600 pessoas em 44 locais e que estão envolvidos 6.581 efetivos nos trabalhos de resgate e de acolhimento dos desalojados.

A entidade italiana relatou ainda que até às 17:13 locais (16:13 em Lisboa) foram registados 1.059 movimentos sísmicos, dos quais 220 durante o dia de hoje. Dez destas réplicas registaram uma magnitude entre três e quatro graus na escala de Richter.

Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.