sicnot

Perfil

Sismo em Itália

Sobe para 291 o número de mortos no sismo em Itália

O último balanço provisório da Proteção Civil italiana dá conta de 291 mortos na sequência do terramoto de 6,2 graus na escala de Richter que atingiu na madrugada de quarta-feira o centro de Itália.

O anterior balanço provisório oficial dava conta de 281 vítimas mortais.

De acordo com os dados atualizados este sábado, Amatrice foi a localidade que registou o maior número de vítimas mortais, 230.

Em Arquata foram contabilizados 50 mortos, enquanto na zona de Accumoli morreram 11 pessoas, confirmou também a Proteção Civil italiana.

Esta atualização é conhecida poucas horas depois da realização em Ascoli Piceno dos primeiros funerais de Estado de vítimas do sismo, cerimónias que contaram com a presença do Presidente de Itália, Sergio Mattarella, e do primeiro-ministro Matteo Renzi.

O terramoto, ocorrido às 03:36 (02:36 em Lisboa) de quarta-feira, teve uma magnitude de 6,2, segundo o centro norte-americano de monitorização da atividade sísmica mundial USGS.

O epicentro do tremor de terra foi na província de Rieti e o sismo afetou também as de Perugia, Ascoli, Piceno, L'Aquila e Teramo, a cerca de 130 quilómetros a nordeste de Roma.

Nas localidades Accumoli, Amatrice e Arquata del Tronto, próximas do epicentro, dezenas de edifícios ruíram e numerosas pessoas ficaram presas nos escombros.

Este sismo, que figura como um dos mais mortíferos dos últimos anos em Itália, já foi seguido por centenas de réplicas.

Lusa

  • PS acusa PSD e CDS de falta de agenda política
    1:01

    Caso CGD

    O PS considera o anúncio desta nova comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos um ataque doentio de PSD e CDS ao ministro das Finanças, que visa apenas desviar as atenções dos bons resultados da economia portuguesa. O deputado socialista João Paulo Correia diz que falta agenda política aos partidos de direita.

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31
  • Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas

    Mundo

    As mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas ou bissexuais, ou mesmo que todos os homens hetero, homo ou bissexuais. O estudo que dá conta desta realidade revela também o que fazer para aumentar as hipóteses de uma mulher alcançar um orgasmo.