sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Movimento cívico quer Sócrates a aguardar julgamento em liberdade

O Movimento Cívico José Sócrates, Sempre já está oficialmente formado e reúne, à data desta quinta-feira, cerca de 400 membros, exigindo os seus fundadores que o ex-primeiro-ministro, que dizem ser "um preso político", aguarde o julgamento em liberdade.

(Arquivo)

(Arquivo)

Francisco Seco / AP

Quatro dos cinco elementos do núcleo fundador deste movimento cívico apresentaram hoje, numa conferência de imprensa no Porto, as motivações que os levaram a constituir este grupo, rejeitando justiça e leis "com dois pesos e duas medidas" e considerando que a prisão preventiva de José Sócrates "coloca em perigo a liberdade, a democracia e os valores de Abril".

Independentemente das motivações de cada um dos fundadores, há uma exigência que, segundo Luísa Lopes os une: "O que todos nós queremos é que José Sócrates aguarde o julgamento em liberdade. Não faz sentido prender para investigar".

"Consideramos Sócrates como um preso político e num Portugal democrático não pode haver presos políticos", defendem, condenando o facto da fuga ao segredo da justiça ser "assustadora e não encontra responsáveis".

Oriundos de diferentes cidades do país, os fundadores - grupo do qual fazem parte duas militantes de base do PS e um ex-militante do PCP - garantem que só se conheceram numa primeira iniciativa de solidariedade com José Sócrates organizada por José António Pinho, tendo a ideia da formalização do movimento surgido após a vigília de 14 horas realizada à porta do Estabelecimento Prisional de Évora no dia 28 de fevereiro.

O movimento cívico critica ainda "a manipulação de alguns órgãos de comunicação social em todos este processo", considerando que este facto "tem levado a um julgamento em praça pública", o que vai "contra os direitos de qualquer cidadão".

Luísa Lopes garantiu ainda que este grupo nasceu de forma espontânea e "não tem qualquer apoio, especialmente financeiro", de nada nem de ninguém, afirmando que as pessoas que os acompanham - que neste momento são cerca de 400 - são oriundas do povo.

José António Pinho - que se assumiu como um amigo de José Sócrates com quem passou férias e cujos filhos andaram ao colo do ex-primeiro-ministro - manifestou-se contra "a tortura planificada" de que está a ser vítima, considerando que "estar preso sem tempo certo é uma tortura que leva muitas vezes à loucura" e que Sócrates "é perigoso para quem não gosta de democracia".

Na opinião de José António Pinho, o ex-governante "vai voltar mais forte e com mais charme" e "vai sair da prisão de cabeça erguida".

João Gomes é perentório ao afirmar que acredita na inocência de José Sócrates, considerando que "há um movimento político oculto que estás por trás deste processo", uma vez que há interesse em "destruir politicamente" o ex-primeiro-ministro e "também apanhar o PS", naquilo que diz ser uma "estratégia política de forças ocultas".

Para 28 de março está marcada a próxima ação deste movimento, que vai levar à porta do estabelecimento onde está preso preventivamente Sócrates a "Primavera em Évora", com música e poesia.

O Movimento Cívico José Sócrates, Sempre pretende ainda criar, em breve, uma Comissão de Honra uma vez que já receberam alguns contactos de pessoas politica e socialmente relevante a darem apoio ao grupo, sendo ainda cedo para falar de nomes.

Lusa
  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à UE e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido perdão da dívida como os partidos da esquerda chegaram a defender.

  • Ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal fala de acidente 
    2:00
  • "Têm um verdadeiro amigo na Casa Branca"

    Mundo

    O Presidente norte-americano reafirmou esta sexta-feira o apoio ao direito de porte de armas no país, sublinhando, numa convenção daquele 'lobby', que "o ataque de oito anos às liberdades consagradas no Artigo 2.º [da Constituição]" terminou.

  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Presidente da Macedónia convocou reunião de emergência

    Mundo

    O Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, convocou esta sexta-feira uma reunião de emergência com líderes políticos, após manifestantes, maioritariamente apoiantes da maioria conservadora, invadirem o Parlamento e atacarem deputados da oposição, fazendo 77 feridos.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.