sicnot

Perfil

Operação Marquês

Operação Marquês

Operação Marquês

Buscas no banco de investimento da CGD e no Haitong

O banco de investimento da Caixa Geral de Depósitos e o Haitong, antigo BESI, estão a ser alvo de buscas. A Procuradoria Geral da República confirma que as diligências estão relacionadas com a Operação Marquês, o processo que envolve José Sócrates.

As autoridades andam à procura de elementos relacionados com o negócio da PT com a brasileira Oi.

Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República adianta que as buscas acontecem no âmbito da Operação Marquês e que "têm em vista a recolha de elementos de prova relativos a serviços prestados pela Caixa BI e pelo antigo BESI (atual Haitong) a um cliente, não estando em causa a responsabilidade das referidas entidades".

Nestas diligências, o Ministério Público é coadjuvado pela Autoridade Tributária (AT) e pela Polícia de Segurança Pública (PSP). Em causa estão "factos susceptíveis de integrarem os crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais".

A notícia das buscas no Caixa BI, o banco de investimento da Caixa Geral de Depósitos, foi avançada pelo Expresso. As diligências passaram também pelo Haitong Bank, o antigo banco de investimento do Grupo Espírito Santo.

Contactada pela SIC, fonte oficial da Caixa Geral de Depósitos recusou fazer qualquer comentário.

O Caixa BI faz assessoria financeira de operações de empresas com grande dimensão e privatizações.

Última atualização às 13:11

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão