sicnot

Perfil

Operação Marquês

Depoimento de Bataglia põe em causa fim da investigação da Operação Marquês

Depoimento de Bataglia põe em causa fim da investigação da Operação Marquês

O prazo para o fim da investigação no âmbito da Operação Marquês pode estar em causa após o depoimento de Hélder Bataglia. Os investigadores pediram mais elementos e dados, depois de o empresário ter confessado que fez chegar milhões de euros a Carlos Santos Silva, o amigo de José Sócrates. Segundo Bataglia, o dinheiro vinha apenas de um homem: Ricardo Salgado.

  • Ricardo Salgado, o alegado corruptor de Sócrates
    3:17

    Operação Marquês

    A Operação Marquês é a terceira investigação que tem Ricardo Salgado como suspeito. O ex-banqueiro já era arguido no processo Monte Branco e nos que investigam o Universo Espírito Santo. Há duas semanas, foi formalmente apontado pelo Ministério Público como um dos alegados corruptores de José Sócrates.

  • Quem é Hélder Bataglia?
    2:15

    Operação Marquês

    Quem é afinal Helder Bataglia, o homem que assume agora uma posição decisiva na Operação Marquês? O luso-angolano de 70 anos nasceu no Seixal e tornou-se o ponta de lança do Grupo Espírito Santo, nos negócios em África. Bataglia foi feito comendador em 2007 por Cavaco Silva com a Ordem do Infante D. Henrique.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.