sicnot

Perfil

Caso Tecnoforma

Caso Tecnoforma

Caso Tecnoforma

MP pede que Poiares Maduro, Pacheco Pereira e Clara F. Alves não sejam julgados

O Ministério Público pediu hoje à juíza de instrução criminal que não leve a julgamento o ministro Poiares Maduro, o comentador Pacheco Pereira e a jornalista Clara Ferreira Alves por crime de ofensa contra a Tecnoforma, a empresa que, no passado, teve Passos Coelho como colaborador.

Poiares Maduro será processado por "declarações proferidas publicamente" no âmbito do "caso Tecnoforma", relacionado com pagamentos ao primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, segundo a empresa.

Poiares Maduro será processado por "declarações proferidas publicamente" no âmbito do "caso Tecnoforma", relacionado com pagamentos ao primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, segundo a empresa.

PAULO NOVAIS

A instrução do processo foi requerida por Poiares Maduro, ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional que tem a tutela da comunicação social, depois de a Tecnoforma ter deduzido acusação particular.

Quanto a pacheco pereira, a Tecnoforma diz que os comentários que fez na televisão e blogues prejudicaram a imagem e a credibilidade da empresa.

A queixa contra Clara Ferreira Alves tem a ver com uma entrevista da jornalista, mas o Ministério Público entende que não há indícios de crime.

Na próxima semana a juíza do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa vai decidir se há ou não julgamento.

  • Lixo, para que te quero?
    23:17
  • Tuk-tuk em protesto oferecem hoje passeios gratuitos em Lisboa

    País

    A Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos (APECATE) promove hoje a iniciativa "Cá vai Lisboa", com passeios gratuitos de tuk-tuk, para alertar a população para a "problemática" regulamentação municipal deste tipo de veículos.

  • Ricardo Robles apresentado como candidato do BE a Lisboa
    1:31

    Autárquicas 2017

    Ricardo Robles foi formalmente apresentado este sábado como candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Lisboa. No encerramento da convenção autárquica do partido, Catarina Martins fez críticas ao Governo, dizendo que o projeto de descentralização do Executivo é perigoso e ameaça a democracia.

  • Pavilhão Carlos Lopes esteve encerrado durante 14 anos
    2:27