sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Fogo mantém quatro frentes ativas de grande intensidade

O fogo que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e que já vitimou 57 pessoas, mantém quatro frentes ativas de grande intensidade, disse hoje o secretário de Estado da Administração Interna.

"Não houve diminuição de intensidade, mantém-se exatamente tudo na mesma desde o último ponto de situação, com quatro frentes ativas, duas das quais com extrema violência", referiu Jorge Gomes.

O governante, que falava aos jornalistas num "briefing" realizado às 07:30 em Pedrógão Grande, junto ao posto de comando, adiantou que é aguardada a chegada de aviões 'Canadair' portugueses, espanhóis e franceses.

No entanto, Jorge Gomes alertou que os meios não podem ser todos utilizados neste incêndio por existirem mais fogos no país a que "temos de acudir neste momento".O governante indicou que as operações mobilizam neste início de manhã 687 operacionais, 224 viaturas e três máquinas de rasto.

O Governo declarou na madrugada de hoje o estado de contingência para o incêndio que deflagrou na tarde de sábado em Pedrógão Grande e que alastrou rapidamente aos concelhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, todos no distrito de Leiria.

"O estado de contingência ativa determinados meios e permite também outras possibilidades para tudo o que se vier a desenrolar a partir daqui e também para o que já aconteceu", disse o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes.

O IC8, que liga Pombal a Vila Velha do Ródão, está cortado desde sábado, e já esta manhã a Autoestrada n.º 13, que liga Tomar a Coimbra, foi também fechada ao trânsito no nó do Avelar (Ansião).

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.