sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Misericórdias podem acolher desalojados nos distritos de Leiria e Coimbra

Paulo Cunha

As misericórdias portuguesas vão poder acolher os desalojados dos incêndios que lavram nos distritos de Leiria e Coimbra, disse este domingo à agência Lusa o presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP).

"Fizemos já um levantamento de quantas pessoas podemos acolher, eu já tenho esse resultado no distrito de Coimbra e, numa primeira fase, podemos acolher de imediato cerca de 100 pessoas", disse Manuel Lemos.

Sobre as pessoas que as misericórdias podem acolher no distrito de Leiria, o presidente da UMP acrescentou que o número deve ser semelhante ao de Coimbra, pelo que está convicto de que pode acolhê-las "todas". A não ser que o número de desalojados aumente exponencialmente, observou Manuel Lemos.

A julgar pelo que tem ouvido na comunicação social, o presidente da União das Misericórdias disse que o número de desalojados deve rondar os 250 e que, sendo assim, a instituição que dirige pode acolhê-los a todos nos distritos a que pertencem.

Manuel Lemos acrescentou que nos concelhos onde existem incêndios as misericórdias "estão a trabalhar a um milhão por cento", tanto para acolher as pessoas, como para apoiar os que combatem os fogos.

Além disso, as misericórdias estão a funcionar como retaguarda umas das outras nos distritos de Coimbra e de Leiria, os mais fustigados pelos fogos, observou.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.