sicnot

Perfil

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Tragédia em Pedrógão Grande

Sete estradas cortadas nos distritos de Leiria, Coimbra, Bragança e Castelo Branco

Miguel A. Lopes

Sete estradas nos distritos de Leiria, Coimbra, Bragança e Castelo Branco estavam, cerca das 19h15, interditas ao trânsito, devido à ocorrência de incêndios, disse fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR), indicando que há vias com cortes em diferentes troços.

O incêndio que deflagrou no sábado em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, está a provocar o corte do trânsito na Estrada Nacional 2 e na A13 - Autoestrada do Pinhal Interior, entre o nó do IC8 - Itinerário Complementar 8 e o nó de Penela (Coimbra), informou à agência Lusa fonte da GNR, indicando que existem condicionamentos nas estradas nacionais e municipais dos concelhos afetados pelo lavrar das chamas.

De acordo com a GNR, o IC8 - Itinerário Complementar 8, no nó da zona industrial de Pedrógão Grande, foi reaberto ao trânsito cerca das 16h00.

Já o fogo que lavra em Penela, no distrito de Coimbra, além de provocar o corte da A13, está a interditar o trânsito na Estrada Municipal 1202 e na Estrada Nacional 347.

Ainda em Coimbra, o incêndio em Góis está a cortar o trânsito na Estrada Nacional 2, na localidade de Chã de Alvares, e na Estrada Nacional 112, na localidade de Cabeçadas.

No concelho da Lousã, no distrito de Coimbra, o trânsito está interdito na Estrada Nacional 236, devido à ocorrência de incêndios.

No distrito de Bragança, na localidade de Vinhais está cortado o trânsito na Estrada Nacional 103.

Em Castelo Branco, no concelho de Oleiros, está interdita a Estrada Nacional 112, por causa da ocorrência de incêndios.

Lusa

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08