sicnot

Perfil

Crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia

Crise na Ucrânia

Sessenta e quatro militares ucranianos morreram desde instauração do cessar-fogo em fevereiro

Sessenta e quatro militares ucranianos morreram no leste separatista pró-russo da Ucrânia desde a instauração do mais recente cessar-fogo, a 15 de fevereiro, anunciou hoje o Presidente ucraniano, Petro Poroshenko.

© Marko Djurica / Reuters

"Sessenta e quatro militares morreram desde 15 de fevereiro", data da entrada em vigor da trégua decretada nos acordos de paz de Minsk, assinados após a mediação do Presidente francês, François Hollande, e da chanceler alemã, Angela Merkel, na presença do Presidente russo, Vladimir Putin.

 À anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia, em março de 2014 - após três semanas de ocupação por forças russas, depois de um referendo que não foi reconhecido por Kiev e pela comunidade internacional - seguiu-se um conflito armado no leste da Ucrânia entre os separatistas pró-russos e o exército ucraniano, que já fez mais de 6.000 mortos em 11 meses.

 Os acordos de Minsk, assinados a 12 de fevereiro, previam também a retirada de armamento pesado da linha da frente, mas já hoje o comandante das tropas da NATO na Europa, general Philip Breedlove, denunciou a circulação contínua, na fronteira do sudeste da Ucrânia, que não está sob o controlo de Kiev, de "equipamentos, homens e dinheiro para apoiar as tropas russas e os combatentes separatistas pró-russos na Ucrânia".

 

Lusa

  • "De hoje em diante, só a América virá em primeiro lugar"
    3:20
  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39

    Mundo

    As primeiras decisões da era Trump não tardaram. O 45.º Presidente dos Estados Unidos da América já avançou com algumas medidas, entre elas, a confirmação dos nomes que vão compor a nova administração e a criação do Dia do Patriotismo.

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.