sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Organização Mundial de Saúde declara Zika uma emergência global

O Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou, esta segunda-feira, o vírus Zika, já presente em 24 países da América, como uma emergência de saúde pública de importância internacional.

Felipe Dana

O vírus, transmitido pelo mosquito "Aedes aegypti" (o mesmo do dengue e da chikungunya), normalmente provoca uma infeção leve, mas tem-se associado a casos de microcefalia em bebés de mães infetadas e a alguns casos de síndrome de Guillain-Barré. Uma associação que levou a OMS a considerar o Zika como uma ameaça de "proporções alarmantes", como definiu a diretora-geral, Margaret Chan, segundo noticia o El País.

Declarar uma emergência de saúde pública internacioal, decisão que tomou em 2009 com a Gripe A e em 2014 com o Ébola, implica pôr em marcha mecanismos para coordenar a deteção, a prevenção e a vigilância do problema.

José María Martín Moreno, catedrático de medicina de prevenção da Universidade de Valência, explica que os especialistas da OMS estabeleceram o alerta global baseando-se em dois elementos: na existência de um risco para a saúde pública de outros Estados por causa da propagação do Zika e da necessidade de haver uma resposta internacional conjunta. "A partir disso, provavelmente, deve-se propôr insistir no fortalecimento da vigilância epidemológica, na criação da capacidade de laboratório para se detetar o vírus, na colaboração na eliminação dos mosquitos, na formulação de recomendações sobre a atenção clínica e no seguimento das pessoas infetadas pelo vírus e na definição de áreas de investigação prioritárias sobre a doença e as suas possíveis complicações", disse Martín Moreno, que também é assessor da OMS para a Europa.

Segundo a OMS, este virus pode afetar três ou quatro milhões de pessoas, não tem, para já, tratamento. O único modo de lutar contra a infeção é preveni-la: evitar que o mosquito pique e acabar com ele.

  • Um homem de 83 anos é a 42.ª vítima dos incêndios
    1:27

    País

    Subiu para 42 o número de vítimas mortais nos incêndios deste domingo. Um homem de 83 anos foi encontrado sem vida em Lugar de Covelo, em Vouzela. O número de feridos mantém-se, 14 estão em estado grave. A maior parte das mortes aconteceu no distrito de Coimbra (20) e Viseu (19). Segundo a Proteção Civil, já não há desaparecidos. Sete pessoas estavam dadas como desaparecidas e apenas uma foi encontrada sem vida. Um bebé de poucos meses tinha sido dado como morto, mas foi encontrado com vida.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08