sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

64 mil pessoas formam "brigadas" para combater o vírus no Equador

Cerca de 64 mil pessoas formam "brigadas" de combate ao vírus Zika no Equador, onde foram registados 22 casos e se investigam outros 67 suspeitos, informou, esta segunda-feira, o Ministério da Saúde Pública.

64 mil pessoas formam "brigadas" para combater o vírus no Equador

64 mil pessoas formam "brigadas" para combater o vírus no Equador

© Mariana Bazo / Reuters

As Forças Armadas juntaram-se esta segunda-feira às atividades programadas no país para combater o mosquito "aedes aegypti", transmissor do Zika, assim como da dengue e da febre chikunguña.

Segundo a agência noticiosa Andes, 700 militares vão trabalhar na província de Guayas, a par com as "brigadas", trabalho que começou na segunda-feira em Guayaquil, no sudoeste, com patrulhas pelas zonas consideradas de risco, onde efetuarão fumigações e informarão os habitantes sobre a eliminação de mosquitos, uso de repelentes e outras ações de cariz preventivo.

As autoridades do Equador confirmaram esta segunda-feira um caso de uma grávida que sofre do vírus Zika, no município de Quevedo, província de Los Ríos (centro-oeste), indicando que a mulher superou o momento de maior risco para o bebé, dado que se encontra de 23 semanas e a etapa considerada crítica é até às 12 semanas de gestação.

o Comité de emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) decidiu na segunda-feira que os casos de microcefalia e de desordens neurológicas surgidas no Brasil constituem uma emergência sanitária de alcance internacional, mas não o vírus Zika, por não ter sido comprovada relação entre ambos.

A OMS confirmou que, até à data, foram detetados casos em 25 países e territórios das Américas.

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.