sicnot

Perfil

Vírus Zika

Vírus Zika

Vírus Zika

Vaticano diz que aborto é uma resposta ilegítima ao Zika

A Igreja Católica argumenta que a interrupção da gravidez iria confirmar o fracasso da comunidade internacional para travar o Zika. As mulheres grávidas expostas ao vírus estão sujeitas a dar à luz bebés com defeitos cerebrais graves, mas o Vaticano diz que estas não devem ser autorizadas a abortar.

© Ueslei Marcelino / Reuters

A Igreja Católica reafirmou a sua posição em relação ao aborto em todas as circunstâncias. Na América do Sul são muitas as mulheres que tentam interromper a gravidez com medo que os seus futuros filhos possam ter microcefalia.

"Não se trata apenas do aumento do acesso ao aborto e das drogas utilizadas para abortar, trata-se de uma resposta ilegítima a esta crise, terminar com a vida de uma criança não é algo preventivo", disse o representante da Santa Sé na ONU, durante o lançamento de uma campanha de 50 milhões de euros pela Organização Mundial da Saúde para combater a propagação do vírus Zika.

Estima-se que cerca de 4.000 bebés tenham nascido com microcefalia, situação que tem sido associada à infeção das mães com o vírus Zika por picadas de mosquito.

"Deve-se dizer que o diagnóstico de microcefalia numa criança não significa uma sentença de morte", referiu o arcebispo Bernardito Auza, observador permanente da Santa Sé na ONU. Se assim fosse seria "a confirmação de um fracasso da comunidade internacional para travar a propagação da doença", acrescentou.

O aborto é proibido ou altamente restrito em grande parte dos países afetados pelo Zika. No início deste mês, a Igreja Católica no Brasil manifestou-se contra a alteração que permite as mulheres infetadas com o vírus abortar.

Os governos aconselharam as mulheres a adiar a gravidez por um período de dois anos, enquanto os organismos internacionais pediram uma suavização das leis que proíbem o aborto.

  • OMS lança plano de combate ao ZIka
    1:45

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde lançou um plano de combate ao Zika no valor de 50 milhões de euros. A resposta visa combater e controlar a epidemia sobretudo nos países mais afetados. No Brasil são cada vez mais os bebés que nascem com microcefalia associada ao vírus Zika. O número de casos confirmados ultrapassa já o meio milhar.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC