sicnot

Perfil

Avião desaparecido

Avião desaparecido

Voo MH370

Malásia vai procurar destroços do MH370 na costa de Moçambique e África Sul

A Malásia vai enviar uma equipa para procurar destroços do avião MH370 nas costas da África do Sul e de Moçambique, após a descoberta de três possíveis fragmentos na região, anunciou hoje o ministro malaio dos Transportes.

© Damir Sagolj / Reuters

Citado pelos media australianos e malaios, Liow Tiong Lai afirmou que os dois destroços encontrados em Moçambique são quase certamente do MH370, após análises feitas por especialistas que investigam o desaparecimento do voo da Malaysia Airlines.

O ministro explicou que as dimensões, materiais e construção de dois fragmentos descobertos na costa moçambicana são conformes com as de um Boeing 777, e acrescentou que a pintura e as marcas correspondem às da companhia aérea da Malásia.

Referiu-se ainda a um terceiro fragmento, que tem parte do símbolo da Rols Royce, fabricante dos motores da Boeing, e foi descoberto na costa sul-africana, e afirmou que uma equipa malaia seguirá para a África do Sul para recuperar essa peça e levá-la para a Austrália, país que lidera a investigação ao desaparecimento do MH370.

Perante as descobertas destes destroços, "é preciso pesquisar a costa sul-africana para encontrar mais fragmentos", disse Liow Tiong Lai, afirmando que a Malásia aguarda agora a aprovação das autoridades sul-africanas para enviar uma equipa para o terreno.

"A pesquisa da costa será feita por uma equipa malaia e focar-se-á entre a África do Sul e Moçambique", acrescentou.

O voo Kuala Lumpur-Pequim desapareceu a 08 de março de 2014, com 239 passageiros e tripulação a bordo.

As buscas concentram-se agora numa área subaquática de 25 mil quilómetros quadrados no Oceano Índico e os governos da Austrália, Malásia e China já garantiram que a área a investigar não será expandida na ausência de novas informações credíveis.

Até agora ainda não se descobriu onde o avião caiu e apenas parte de uma asa do Boeing 777 foi recuperada de uma praia no Oceano Índico, na Ilha da Reunião, tendo sido definitivamente ligada ao MH370.

Especialistas, incluindo da Austrália e da Boeing, têm examinado, juntamente com uma equipa malaia, os dois pedaços encontrados no início do mês em Moçambique.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.