sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 100 mil pessoas refugiadas do Darfur vivem em "condições medonhas", denuncia ONU

Mais de 100 mil pessoas foram deslocadas ou severamente afetadas pelos confrontos ocorridos no início de janeiro pelo controlo das minas de ouro no norte do Darfur e vivem hoje "em condições medonhas", revelou a ONU na quinta-feira.

© Handout . / Reuters

Em meados de janeiro, a Organização das Nações Unidas (ONU) revelou  a ocorrência de combates, iniciados em 05 de janeiro, entre duas tribos,  pelo controlo das minas de ouro, que causaram cerca de cem mortos na região  sudanesa de Jebel Amir. 

Na ocasião, informa a agência noticiosa AFP, a ONU deu uma primeira  estimativa de 70 mil deslocados.  

Dezenas de milhares de pessoas refugiaram-se em escolas e instalações  governamentais, adiantou na quinta-feira fonte da agência da ONU para a  coordenação dos assuntos humanitários (OCHA). 

Muitos vivem "em condições medonhas", acrescentou a mesma fonte, que  especificou que 75 mil estão na província do El-Sireaf, segundo os números  oficiais da comissão governamental para a ajuda humanitária. 

Nesta província, as escolas e vários serviços governamentais estão encerrados  "devido ao número importante de pessoas deslocadas que aí se refugiaram",  afirmou o governador da província, citado pela OCHA. 

"Numerosos deslocados vieram acompanhados do seu gado, o que aumentou  de forma significativa a pressão sobre os pastos", relatou a agência. 

As condições e dificuldade de alimentação do gado conduziram à morte  de vários animais, cujas carcaças "estão abandonadas, sem serem enterradas,  o que coloca um sério risco sanitário", ainda segundo o serviço da ONU.

A ONU e os seus parceiros entregaram em El-Sireaf mais de 600 toneladas  de material de socorro, incluindo roupa e alimentação, para mais de 60 mil  pessoas. 

Mas o transporte rápido da ajuda para os afetados é dificultado, tanto  pela sua dispersão, como pela sua quantidade, para além do banditismo, violências  tribais e confrontos entre rebeldes e exército sudanês, que são fenómenos  diários no Darfur.

  • Taxa de desemprego abaixo dos 10%

    Economia

    A taxa de desemprego em fevereiro ficou afinal nos 9,9%. O Instituto Nacional de Estatística reviu o indicador em baixa de 0,1 pontos percentuais, esta sexta-feira. É o valor mais baixo desde fevereiro de 2009.

  • "Tanolas" tem cadastro criminal e já foi condenado a pena suspensa
    0:55
  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Dijsselbloem não comenta hipótese de ser substituído por Mário Centeno
    2:41

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas não comenta a sondagem que foi feita ao ministro das Finanças português. Ouvido esta quinta-feira no Parlamento Europeu, o Presidente do Eurogrupo esteve no centro das críticas e reafirmou que não se demite.