sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 100 mil pessoas refugiadas do Darfur vivem em "condições medonhas", denuncia ONU

Mais de 100 mil pessoas foram deslocadas ou severamente afetadas pelos confrontos ocorridos no início de janeiro pelo controlo das minas de ouro no norte do Darfur e vivem hoje "em condições medonhas", revelou a ONU na quinta-feira.

© Handout . / Reuters

Em meados de janeiro, a Organização das Nações Unidas (ONU) revelou  a ocorrência de combates, iniciados em 05 de janeiro, entre duas tribos,  pelo controlo das minas de ouro, que causaram cerca de cem mortos na região  sudanesa de Jebel Amir. 

Na ocasião, informa a agência noticiosa AFP, a ONU deu uma primeira  estimativa de 70 mil deslocados.  

Dezenas de milhares de pessoas refugiaram-se em escolas e instalações  governamentais, adiantou na quinta-feira fonte da agência da ONU para a  coordenação dos assuntos humanitários (OCHA). 

Muitos vivem "em condições medonhas", acrescentou a mesma fonte, que  especificou que 75 mil estão na província do El-Sireaf, segundo os números  oficiais da comissão governamental para a ajuda humanitária. 

Nesta província, as escolas e vários serviços governamentais estão encerrados  "devido ao número importante de pessoas deslocadas que aí se refugiaram",  afirmou o governador da província, citado pela OCHA. 

"Numerosos deslocados vieram acompanhados do seu gado, o que aumentou  de forma significativa a pressão sobre os pastos", relatou a agência. 

As condições e dificuldade de alimentação do gado conduziram à morte  de vários animais, cujas carcaças "estão abandonadas, sem serem enterradas,  o que coloca um sério risco sanitário", ainda segundo o serviço da ONU.

A ONU e os seus parceiros entregaram em El-Sireaf mais de 600 toneladas  de material de socorro, incluindo roupa e alimentação, para mais de 60 mil  pessoas. 

Mas o transporte rápido da ajuda para os afetados é dificultado, tanto  pela sua dispersão, como pela sua quantidade, para além do banditismo, violências  tribais e confrontos entre rebeldes e exército sudanês, que são fenómenos  diários no Darfur.

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.