sicnot

Perfil

Mundo

Irmãos Kouachi estavam "há anos" na lista negra norte-americana

Os dois suspeitos do ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo na quarta-feira estavam "há anos" na lista negra de terrorismo efetuada pelos Estados Unidos, segundo um responsável norte-americano das forças da ordem.

Cherif Kouachi, 32, e o irmão Said Kouachi, 34, são os dois supeitos procurados pela polícia

Cherif Kouachi, 32, e o irmão Said Kouachi, 34, são os dois supeitos procurados pela polícia

FRENCH POLICE / HANDOUT

Citado pela agência France-Presse, o responsável, sob anonimato, indicou que os irmãos Chérif e Saïd Kouachi figuravam na "lista de vigilância há anos" e da qual constam suspeitos de terrorismo.

Depois do ataque que provocou 12 mortos, os dois homens estão a ser procurados pela polícia francesa no norte do país.

Um outro alto responsável norte-americano acrescentou ao jornal New York Times que Saïd treinou durante "alguns meses" com armas de combate com um membro da Al-Qaida no Iemen, em 2011.

Na manhã de quarta-feira, três homens vestidos de preto, encapuzados e armados atacaram a sede do jornal Charlie Hebdo, no centro de Paris, provocando 12 mortos (10 vítimas mortais entre jornalistas e cartoonistas e dois polícias) e 11 feridos, quatro dos quais em estado grave.

Um dos alegados autores, Hamyd Mourad, de 18 anos, já se entregou às autoridades e os outros dois suspeitos, os irmãos Said Kouachi e Cherif Kouachi, de 32 e 34 anos, continuam a monte. 

Entre as vítimas do ataque estão os cartoonistas Stéphane "Charb" Charbonnier, 47 anos e diretor da publicação, Jean "Cabu" Cabut, 76 anos, Georges Wolinksi, 80 anos, e Verlhac "Tignous" Bernard, 58 anos.

Criado em 1992 pelo escritor e jornalista François Cavanna, o semanário Charlie Hebdo tornou-se conhecido em 2006 quando decidiu voltar a publicar 'cartoons' do profeta Maomé, inicialmente publicados no diário dinamarquês Jyllands-Posten e que provocaram forte polémica em vários países muçulmanos.

O ministro do Interior francês, Bernard Cazeneuve, já deu conta da detenção de nove pessoas das relações dos dois suspeitos, indicando que um deles, Said Kouachi, tinha sido "reconhecido formalmente numa foto como agressor" e que várias buscas tinham sido feitas no seu domicílio de Reims, no nordeste do país. 

O seu irmão, Chérif, que foi condenado em 2008 por envolvimento no envio de combatentes para as fileiras da Al-Qaida no Iraque, foi descrito pelos seus conhecidos como "violentamente antissemita", adiantou o ministro. 

Os dois irmãos, que já estavam referenciados nos serviços antiterrorismo, foram detetados na manhã de hoje pelo gerente de uma estação de serviço a sul de uma pequena vila da região, Villers-Cotterêts.

  • Protestos e violência no Rio de Janeiro
    1:08
  • Marcelo diz que a Europa precisa de paixão
    2:36
  • Cogumelos alucinogénios entre as drogas mais seguras

    Mundo

    Os cogumelos alucinogénios são considerados uma das drogas mais seguras, quando consumidos para fins recreativos. A conclusão é avançada no Global Drug Survey, um estudo anual divulgado esta quarta-feira sobre os hábitos de consumo de drogas de quase 120 mil pessoas em 50 países.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.