sicnot

Perfil

Mundo

Polícia espanhola detém 7 pessoas com suposta ligação à imigração ilegal

A Polícia Nacional prendeu hoje em Melilla sete pessoas, entre 20 e 35 anos, pela sua alegada participação em atividades relacionadas com o favorecimento da imigração ilegal.

(Reuters/Arquivo)

Estas atividades estavam vinculadas tanto à entrada de subsaarianos em veículos em Melilla, como a viagens à península marroquina utilizando documentação de outra pessoa.

Segundo informou hoje a polícia, as investigações iniciaram-se a partir da localização de um veículo abandonado, aberto e com as chaves na ignição e do qual foram resgatados três jovens malianos de 27, 23 e 20 anos que, teriam acabado de chegar a Melilla procedentes de Marrocos.

As investigações permitiram identificar a condutora, uma mulher de nacionalidade espanhola, de 35 anos, que foi detida pela sua alegada participação neste caso, considerado um crime de favorecimento de imigração ilegal.

A partir deste momento, a unidade contra as redes de imigração ilegal e falsificação (UCRIF) pode relacionar este caso com as detenções no porto de dois jovens marroquinos, de 20 e 23 anos, como alegados autores de delitos de falsificação de documentos, ao tentar embarcar com um documento de identidade que havia sido dado como extraviado.

O titular deste documento, um cidadão espanhol de 32 anos, tem em seu nome um total de 24 veículos, facto que chamou a atenção dos investigadores, que continuam a investigar se algum destes automóveis foi utilizado em outras operações de imigração ilegal.

Este homem, além disso, já reportou a perda do seu documento de identificação em sete ocasiões.



Lusa
  • Mais de 30 ilegais intercetados pelas autoridades ao tentarem entrar em Melilla, Espanha

    Mundo

    Perto de 35 africanos foram intercetados pela polícia quando passaram, esta quinta-feira, a fronteira que separa Marrocos da cidade espanhola de Melilla. À volta de cem pessoas tentaram subir a cerca que separa o território africano do enclave espanhol. As 35 pessoas que conseguiram fazer a travessia foram imediatamente levadas para o centro de acolhimento de imigrantes. Quinze pessoas terão ficado sentadas no muro por mais de cinco horas. Este novo assalto veio na sequência daquela que foi a maior entrada de ilegais no enclave espanhol este ano, a 10 de fevereiro. Em 2014, registaram-se 65 assaltos em Melilla. Nesse ano, mais de 16 mil pessoas tentaram entrar em território espanhol.

  • Imigrantes fintam autoridades e entram em Melilla
    1:16

    Mundo

    Cerca de 600 imigrantes tentaram passar a cerca que separa Marrocos de Melilla, mas só 35 escaparam às autoridades. Apesar da tentativa de invasão em massa ter falhado, as autoridades dizem que esta foi a maior entrada de ilegais em Melilla este ano. O incidente aconteceu numa zona conhecida como bairro chinês, onde há várias casas próximas da cerca que servem de esconderijo aos ilegais.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.