sicnot

Perfil

Mundo

Começou julgamento do suspeito do duplo atentado de Boston

O julgamento do suspeito do duplo atentado de Boston perpetrado em 2013, Djokhar Tsarnaev, começou hoje no tribunal federal daquela cidade norte-americana do estado de Massachusetts (nordeste).

© Stringer . / Reuters

Djokhar Tsarnaev, um jovem muçulmano de 21 anos de origem chechena que se declarou inocente, arrisca a pena de morte por este duplo atentado, o mais grave nos Estados Unidos desde os ataques do 11 de setembro de 2001.

A 15 de abril de 2013, duas bombas artesanais explodiram junto da linha de chegada da popular maratona de Boston, matando três pessoas e ferindo outras 264.

Várias vítimas e familiares de vítimas, nomeadamente os pais de Martin Richard, um rapaz de oito anos que morreu nos atentados, quiseram presenciar o início do julgamento. A sala de audiências do tribunal federal de Boston ficou completamente cheia.

Djokhar Tsarnaev, que vivia nos Estados Unidos desde 2002 e que obteve a cidadania norte-americana em 2012, é acusado de ser responsável pelos atentados com o seu irmão mais velho Tamerlan Tsarnaev, de 26 anos, que acabou por ser morto alguns dias depois dos ataques durante uma perseguição policial.

O jovem declarou-se não culpado das 30 acusações federais relacionadas com os ataques e do assassinato de um agente da polícia na altura em que estava em fuga com o seu irmão mais velho.

Na terça-feira, as autoridades judiciais anunciaram que a defesa e a acusação tinham chegado a acordo sobre os 12 membros efetivos e os seis suplentes do júri que vai pronunciar-se sobre Tsarnaev.

A seleção do júri, que começou a 05 de janeiro, atrasou em mais de um mês o início do julgamento, que estava previsto para 26 de janeiro.

Entre as 18 pessoas selecionadas estão 10 mulheres e oito homens, segundo indicou o jornal The Boston Globe.



Lusa

  • Admissão de efetivos nas Forças Armadas aquém do pedido pelas chefias
    1:42

    País

    O Ministério das Finanças autorizou a admissão de mais efetivos nas forças armadas, este ano mas a integração fica muito abaixo do número pedido pelas chefias militares. Mário Centeno só terá autorizado a integração de cerca de três mil militares em vez das cinco mil vagas propostas pelas chefias do Exército, Força Aérea e Marinha.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08