sicnot

Perfil

Mundo

UE aprova redução de 40% das emissões de gases como compromisso para cimeira do clima

A UE adotou hoje formalmente o compromisso, que levará à conferência do clima em Paris, em dezembro, de reduzir até 2030 em pelo menos 40% as emissões de gases com efeito de estufa, relativamente ao nível de 1990.

© Tobias Schwarz / Reuters

"Há um acordo" e a proposta da União Europeia, responsável por 9% das emissões mundiais de gases com efeito de estufa (GEE), foi enviada para o secretariado da ONU, declarou o comissário europeu do Clima, Miguel Arias Canete, no final de uma reunião com os ministros do Ambiente da UE em Bruxelas.    

"A Europa foi o primeiro continente a entregar a sua contribuição, como havia sido pedido pelas Nações Unidas", congratulou-se a ministra francesa Ségolène Royale.   

Os ministros chegaram a acordo sobre "a lista de todas as ações concretas e em todos os setores económicos implicados neste esforço", explicou Ségolène Royale.  

A lista destaca os GEE em causa, enuncia as atividades industriais e inclui a agricultura e os resíduos, aspetos que "não eram de todo evidentes", sublinhou.  

A Irlanda queria incluir as emissões de GEE dos solos e florestas na proposta de contribuição da UE, uma disposição criticadas pelos ecologistas.  

"As emissões relacionadas com o uso dos solos, reafectação dos solos e silvicultura, não devem ser contabilizadas nos objetivos de redução dos países, porque isso significaria diminuir em 4% objetivos de redução já baixos", afirmou o eurodeputado francês dos Verdes Yannick Jadot.  

Os países devem anunciar o seu compromisso, denominado "contribuição nacional", para limitar as emissões de GEE, assim que estejam em condições de o fazer, antes de 31 de março.

Os Estados Unidos, que representam 21% das emissões mundiais, anunciaram a intenção de redução de 26% a 28% em 2025, relativamente aos níveis de 2005.  

A China, responsável por 25% das emissões, prometeu estabilizar as emissões em 2030.  


Lusa
  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de uma dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projecto prevê a possilidade do trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.

  • Pelo menos 2 mortos em Guadalupe à passagem do furacão Maria

    Mundo

    A passagem na terça-feira do furacão Maria pelo arquipélago francês de Guadalupe, nas Caraíbas, provocou a morte de duas pessoas, indicou o governo. Em declarações à Rádio RCI, Eric Maire, delegado do governo, disse que um homem morreu devido à queda de uma árvore, e que outra pessoa foi encontrada morta junto ao mar.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.